Robótica: jovens desenvolvem projeto de mobilidade para idosos

Equipe classificada para o Festival SESI de Robótica terá projeto de inovação implementado em posto de saúde de São Paulo

Star Bots apresenta o projeto para os agentes de saúde de Votuporanga (SP)

Preocupados com a saúde dos idosos com mobilidade reduzida, a equipe Star Bots desenvolveu um projeto de inovação para estimular a atividade física deste público. Os jovens desenvolveram o Star Senior Movement, um guia ilustrado com quinze exercícios físicos, que é acompanhado por um flyer explicativo e um kit composto por cabo de vassoura e bolinha fisioterapêutica.

O intuito é melhorar a qualidade de vida e reduzir os efeitos das doenças degenerativas que acometem os idosos, como diabetes, hipertensão, osteoporose, artrites e obesidade.


“O cabo vassoura é utilizado em exercícios de musculação e força. A bolinha serve para apertar durante um exercício e também pode ser utilizada quando estiver vendo TV, por exemplo. Ela melhora a circulação sanguínea, a flexão e extensão dos dedos e a coordenação motora!”, explicam os jovens Pedro Henrique Zanini Silva, de 10 anos, e Ana Luísa Santos, de 12 anos.


Visando tirar o projeto do papel, a Star Bots apresentou o Star Senior Movement para pessoas influentes do município de Votuporanga, em São Paulo. A equipe demonstrou a utilidade e a importância do projeto para o prefeito Jorge Seba, agentes de saúde do Consultório Municipal e para a secretária de saúde Ivonete do Nascimento.

A apresentação na Secretaria de Saúde foi um sucesso e garantiu a implementação de um piloto do Star Senior Movement em um posto de saúde e no Centro de Convivência do Idoso da cidade. “A secretária ficou encantada com crianças tão novas falando com tanta propriedade”, conta a técnica da equipe Isabel Passos.

Filipe da Silva Godoi, de 10 anos, faz demonstração dos exercícios disponíveis no guia

Conquista incentivadora

A Star Bots é uma equipe de garagem formada pelo projeto social Clube da Robótica, de Votuporanga (SP). Ela é composta pelos jovens Pedro Henrique Zanini Silva, de 10 anos; Filipe da Silva Godoi, de 10 anos; Ana Luísa Santos, de 12 anos; Matheus de Freitas Bianchini, de 13 anos; Nathalia Venturini, de 13 anos; Vinícius Rodrigues de Freitas, de 13 anos; e Livia Rodrigues Silveira, de 14 anos.

Para Ana Luísa Santos, o reconhecimento do projeto de pesquisa desenvolvido por eles foi muito importante. “É muito gratificante porque nós sentimos como se tivéssemos ajudando, de fato, esse público e é um sonho de todas as equipes ter um projeto fora do papel. O nosso foi realizado!”, relata.


“O projeto é um orgulho para nós, porque nada é fácil pra gente. Já vendemos brigadeiro e tapete na rua para comprar passagem para competir nos torneios. Então, temos muito orgulho e é muito significante. Essa já é a minha segunda temporada e nunca tive tantas conquistas assim na minha vida desde que eu entrei para a robótica”, completa Pedro Henrique Zanini Silva.


O sentimento também se estende aos técnicos da equipe. Isabel Passos afirma que equipe passa por alguns desafios devido a variação de idade e o fato de frequentarem escolas diferentes, o que gera distinção no nível escolar e nos grupos de convivência de cada integrante. Entretanto, a paixão pela robótica e o apoio dos técnicos une e incentiva a Star Bots.

“Como técnica, eu fico muito feliz e orgulhosa com isso. O que eu acho mais incrível da robótica é que todo mundo tem um lugarzinho ao sol na equipe, porque são crianças de diferentes habilidades. A pesquisa é uma coisa que eles se dedicam muito e esse ano a gente não sabia se ia conseguir participar por conta do distanciamento social, mas eles continuaram a pesquisar mesmo assim. O mais satisfatório é ver o olhinho deles brilhando quando eles veem o resultado. Então, eu estou muito feliz, principalmente por eles estarem tão motivados, tão felizes e agora eles estão acreditando que podem fazer muito mais, porque sabem que não é só um elogio e que o trabalho produz resultados”, destaca a técnica Isabel Passos.

A equipe está na etapa nacional do torneio de robótica FLL e ganhou o 1º lugar da premiação Core Values na competição regional

Frutos da robótica

O projeto de inovação desenvolvido pela Star Bots faz parte da competição FIRST LEGO League – Challenge (FLL), organizada pelo Serviço Social da Indústria (SESI). O tema da temporada é "RePLAY – esportes e brincadeiras que movimentam o corpo e evitam o sedentarismo" e o desafio das equipes era pensar em formas inovadoras e criativas de estimular a prática de atividades físicas.

Durante as competições regionais, a equipe foi classificada para a etapa nacional da FLL, que acontecerá no Festival SESI de Robótica. As cerimônias de encerramento e premiação serão anunciados dia 26 de junho.

Veja também:

Engenharia: o que é e quais as novas diretrizes para o curso?
Segurança e Saúde no Trabalho:  conheça o programa de SST voltado para a indústria
O que é o princípio da Segurança Jurídica?
Trabalho Intermitente: como funciona a modalidade de contrato?

Relacionadas

Leia mais

Equipes do SESI são finalistas do maior prêmio de inovação da robótica
FTC abre Torneio SESI de Robótica
Conheça as equipes da Região Nordeste que participam do Festival Nacional de Robótica 2021

Comentários