Vida saudável: SESI transforma rotina de empregados de indústria em São Luís

Redução de doenças como hipertensão e diabetes, além da elevação de autoestima e diminuição do absenteísmo estão entre os benefícios do programa Indústria Mais Saudável
Encerramento da etapa do Programa SESI Indústria Mais Saudável na empresa Eneva

Nove meses depois, alguns quilos a menos, frequência garantida na academia e a conquista da tão desafiadora reeducação alimentar. O que parece o último capítulo de um reality show de emagrecimento fez parte da rotina de 92 empregados de uma indústria maranhense, cuja direção acreditou na ideia do Serviço Social da Indústria do Maranhão (SESI) do Maranhão e aceitou participar de um projeto piloto e inovador de melhoria de qualidade de vida, desenvolvido pela entidade do Sistema FIEMA: o Programa SESI Indústria Mais Saudável.

Na encerramento do programa, os que chegaram ao final e cumpriram as metas propostas foram homenageados e premiados em dinheiro pela empresa, e o primeiro lugar ganhou uma viagem com tudo pago.

“Eu escolhi viver, escolhi ter uma vida saudável e só posso agradecer à empresa e ao SESI por esse apoio, que foi fundamental. Levei a filosofia do programa pra dentro da minha casa, mudamos todo o plano alimentar, eu perdi 5 kg com esse apoio interno aqui na empresa, minha esposa perdeu 15 kg e minha filha perdeu 17 kg em casa. Atualmente, eu ando 20 quilômetros por semana na praia, 80 quilômetros por mês, eu e minha esposa. É um número fantástico, e seguimos nos cuidando”, contou o especialista na área portuária da indústria Eneva, Francisco Pereira, de 55 anos, que fez seu depoimento representando todos os colaboradores da empresa que participaram da iniciativa.

No início do programa, em 2018, o SESI realizou um diagnóstico inicial dos colaboradores, com o exame da bioimpedância, que verificou aspectos da saúde como peso, altura, índice de massa magra, índice de gordura corporal, pressão arterial, incidência de doenças como diabetes, hipertensão, entre outros. Tudo isso com acompanhamento da equipe técnica profissional da entidade. Recentemente, ao fim do programa, voltou a medir os mesmos indicadores colhidos no diagnóstico, com base nos parâmetros da Organização Mundial de Saúde (OMS).

“A qualidade de vida dos nossos trabalhadores era algo que a gente via que precisava melhorar, porque apenas fazer palestras e verbalizar não estava sendo suficiente. Precisávamos de ações pontuais. E foi com isso que o SESI nos ajudou com o programa, eles estiveram aqui conosco todo esse tempo, fazendo essa mudança acontecer”, agradeceu o coordenador administrativo da Eneva, Jofre Mendes Soares Neto.

Superintendente regional do SESI, Diogo Lima, avalia que o resultado do programa foi muito positivo

Aos colaboradores, foram desenvolvidos serviços como avaliação física e nutricional, prescrição e acompanhamento de atividade física e nutrição. O SESI também montou uma academia básica de ginástica dentro da empresa, a fim de facilitar o acesso e a frequência às atividades físicas.

“Foi um programa piloto, construído em conjunto com a Eneva, dentro da logística e da dinâmica da empresa, que funciona 24 horas, sem parar. O programa trouxe resultados muito positivos para a equipe, como redução de peso, controle de glicemia, controle de pressão arterial e mudanças positivas nos hábitos de vida saudáveis. Esse é o papel do SESI, cuidar do bem maior da empresa, que são as pessoas. Sem os colaboradores, não existe empresa”, ressaltou o superintendente regional do SESI, Diogo Lima, durante a solenidade.

Segundo o superintendente, o SESI deve implantar o programa em novas indústrias no Maranhão, customizando soluções para o setor produtivo, com o objetivo de tornar as empresas mais competitivas e contribuir para que os industriários estejam mais satisfeitos e saudáveis em seus ambientes de trabalho.

Joyce Silva ficou em 1º lugar no programa

Os colaboradores da Eneva Joyce Silva, Manoel de Deus Cardoso e Alex Costa Santos conquistaram o 1º, 2º e 3º lugar, respectivamente, no programa, e receberam R$ 2 mil (vale viagem), R$ 700,00 e R$ 500,00 como premiação, por se destacarem nos indicadores de controle de peso, controle de patologias (hipertensão e diabetes) e nos indicadores colhidos no exame da bioimpedância.

“Estou muito agradecida e feliz com o resultado. Foi uma mudança difícil. Deixar de comer hambúrguer e batata frita não é fácil, fazer caminhada todo dia então, nem se fala, mas eu entrei no programa pra ganhar, com determinação e sem faltar um dia de trabalho”, contou Joyce Silva.

Relacionadas

Leia mais

VÍDEO: CNI - Há 81 anos trabalhando pelo futuro da indústria
SESI é uma das marcas mais lembradas em Segurança e Saúde no Trabalho
Confira as reportagens mais lidas da semana na Agência CNI de Notícias

Comentários