CNI vai participar da construção da agenda regulatória da agropecuária

Reunião do Coagro discutiu agenda do governo para a revisão das Normas Regulamentadoras
A gerente-executiva da CNI Sylvia Lorena e o vice-presidente do Coagro, Pedro Robério

Os membros do Conselho da Agroindústria (Coagro), da Confederação Nacional da Indústria (CNI) avaliaram as recente alterações em normas regulatórias (RT) e traçaram uma estratégia para otimizar a participação do setor produtivo no debate. Os conselheiros vão alinhar com os representantes da CNI na oficina da 1ª Agenda Regulatória da Secretaria de Defesa Agropecuária os principais pontos de interesse no debate.

Para o vice-presidente do Coagro, Pedro Robério, a participação mais efetiva das federações estaduais da indústria no debate sobre as normas regulatórias é fundamental para simplificar e harmonizar os textos, retirando deles pontos que estão defasados ou são conflitantes. A gerente executiva de Relações do Trabalho da CNI, Sylvia Lorena Teixeira de Sousa, apresentou um panorama das normas regulatórias, o cronograma e a nova dinâmica de elaboração delas.

O coordenador de Qualidade Regulatória do Departamento de Suporte e Normas da Secretaria de Defesa Agropecuária do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), Carlos Roberto de Carvalho Fonseca, reforçou a importância da 1ª Agenda Regulatória da Secretaria de Defesa Agropecuária, na próxima semana.

Ele explicou que o formato de oficina para melhorar a interação entre o Executivo e o setor produtivo já foi testado pelas agências reguladoras, mas esta é uma iniciativa pioneira sob a coordenação de um ministério. Os conselheiros do Coagro definiram que alinharão com os integrantes da Gerência-Executiva de Relacionamento com o Poder Executivo (COEX) que participarão da ofician os pontos de interesse a serem defendidos.

Relacionadas

Leia mais

Fortaleza é escolhida como Cidade Criativa do Design pela Unesco
Brasil traça estratégia para triplicar pedidos de patentes
SENAI promove busca de soluções para o setor de biodiesel

Comentários