CNI e Apex-Brasil atenderão 1,7 mil empresas na promoção de negócios no exterior

Estimativa é gerar US$ 350 milhões em novos negócios e atender mais de 1,7 mil empresas de todo país
“O Brasil ainda tem um universo de empresas exportadoras muito reduzido, de menos de 30 mil. Precisamos ampliar esse número" - Abijaodi

A Confederação Nacional da Indústria (CNI), por meio da Rede Brasileira de Centros Internacionais de Negócios (Rede CIN), e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) fecharam nova parceria para apoiar a estratégia de inserção de empresas brasileiras no comércio internacional. Ao longo dos próximos dois anos e meio (30 meses), R$ 13 milhões serão investidos conjuntamente pelas duas entidades em 40 ações de promoção de negócios e prospecção de mercados no exterior e rodadas com compradores estrangeiros no Brasil. 

A meta é atender 1,7 mil empresas de diversos setores industriais e estados, com estimativa de gerar ao menos US$ 350 milhões em novos negócios. O convênio tem também como objetivo abrir novos mercados externos, incentivar a exportação de novos produtos brasileiros e fomentar a internacionalização de novas empresas.

A parceria entre a CNI e a Apex-Brasil tem mais de uma década. Desde 2008, as duas instituições unem esforços para ampliar a participação do Brasil no comércio global. Apenas de 2013 para cá, as 4,5 mil empresas apoiadas fecharam vendas de mais de US$ 2,5 bilhões após participar das ações de promoção de negócios. 

Para o diretor de Desenvolvimento Industrial da CNI, Carlos Abijaodi, o trabalho coordenado entre as duas instituições potencializa o resultado das ações. “O Brasil ainda tem um universo de empresas exportadoras muito reduzido, de menos de 30 mil. Precisamos ampliar esse número e, principalmente, trazer as pequenas e médias empresas para a atividade internacional”, afirma.

A gerente executiva da Diretoria de  Negócios da Apex-Brasil, Isabel Tarrisse, avalia que o projeto aprovado é assertivo e estratégico no estímulo à primeira exportação e atua de forma sinérgica a outros serviços e produtos da Apex-Brasil, como os projetos setoriais e o programa de qualificação PEIEX. "A capilaridade da iniciativa dentro do Brasil é impressionante e fruto da credibilidade e atuação da CNI, um grande parceiro, junto à rede de federações nos Estados. Haverá, também, um maior fluxo de empresas atendidas entre as duas instituições, com complementariedade de iniciativas e colaboração conjunta nas trilhas de internacionalização das empresas brasileiras”, diz.

CALENDÁRIO – Das 40 ações previstas até 2021, ao menos 8 ocorrerão ainda em 2019, entre outubro e dezembro. Entre elas, uma missão prospectiva à Feira Anuga, que movimenta o ramo de alimentos e bebidas mundial e ocorre bianualmente na Alemanha  e missões prospectivas aos eventos multissetoriais Feira K, na Alemanha, e à CIEE, na China. Também estão no planejamento encontros itinerantes de negócios com compradores estrangeiros em diversas cidades brasileiras.

Relacionadas

Leia mais

Edital de Inovação para a Indústria tem novidades na edição 2019
Sem a OMC, lei da selva pode imperar no comércio exterior
Acordo entre Mercosul e países do EFTA é passo importante para a abertura comercial do Brasil, afirma CNI

Comentários