SENAI integra projeto inovador para armazenar energia de usina solar em hidrelétrica

CTG Brasil vai construir sistema de baterias e geração distribuída abastecido por energia solar fotovoltaica na hidrelétrica de Ilha Solteira, com ISI-TICs, Thymos Energia e Wisebyte

O Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) se uniu a empresas que são referência nos setores de energia e tecnologia para desenvolver um sistema inovador de armazenamento de energia em baterias e geração distribuída dentro de uma usina hidrelétrica com módulos solares.

A iniciativa é da CTG Brasil, uma das líderes em geração de energia limpa no país, com o Instituto SENAI de Inovação para Tecnologias da Informação e Comunicação (ISI-TICs), em Pernambuco, a Thymos Energia e a Wisebyte.  

O projeto PDI ANEEL prevê a construção de um laboratório de armazenamento eletroquímico de energia (baterias) conectado a uma pequena usina solar fotovoltaica de aproximadamente 900 módulos solares nas instalações da Usina Hidrelétrica Ilha Solteira, localizada no rio Paraná, entre os municípios de Ilha Solteira e Selvíria. 

“Este projeto da CTG Brasil é um passo importante para impulsionar a geração limpa e reduzir o custo da eletricidade, pois desenvolverá soluções com baterias para aumentar a flexibilidade de geração e estabilidade do sistema”, afirma Sergio Fonseca, diretor de Desenvolvimento de Negócios e PDI da CTG Brasil. 

A capacidade instalada da usina fotovoltaica será de 500 kWp. Com isso, a expectativa é gerar energia elétrica equivalente ao consumo de mais de 380 residências. Já a capacidade de armazenamento de energia das baterias é de 100 kWh, que foi projetada de acordo com os estudos planejados para o laboratório.

A princípio a energia gerada atenderá somente ao consumo da CTG Brasil dentro da área de cobertura da distribuidora local. No entanto, formas complementares de utilização da energia gerada serão avaliadas. 

Para Jovanio Santos, diretor de Novos Negócios da Thymos Energia, a iniciativa é inovadora e contribui muito para o desenvolvimento de um mercado de serviços ancilares no Brasil, complementares aos produtos tradicionais de energia e capacidade.

“Vamos desenvolver um case importante que será testado na prática e nos dar subsídios para contribuir com a construção de uma regulação para esses recursos”, justifica. 

A primeira etapa é de estudos técnicos, que vão avaliar como sistemas de baterias, que têm um enorme potencial de usos, podem contribuir com fontes não despacháveis através do aumento da flexibilidade da geração, fornecimento de serviços ancilares, controle de oscilações na rede, e outros serviços.  

A iniciativa também envolve o desenvolvimento de sistemas computacionais com tecnologias de inteligência Artificial para indicar melhor relação custo-benefício para a implantação Utility Scale Battery (USB) nos ativos de geração hidrelétricos, eólicos ou solares.

Por fim, os estudos contribuirão para o desenvolvimento da regulação e dos procedimentos para utilização de baterias em larga escala no sistema elétrico brasileiro. 

O total investido será de cerca de R$ 15 milhões, sendo mais de R$ 12 milhões da CTG Brasil através do programa de Pesquisa e Desenvolvimento da ANEEL; e os demais de recursos da Plataforma Inovação para a Indústria do SENAI e de contrapartidas do ISI-TICs/SENAI Pernambuco, Thymos Energia e Wisebyte. O projeto será desenvolvido dentro do período de 18 meses.

A obra será iniciada no segundo semestre de 2024 e acabará até o primeiro semestre de 2025. A empresa JA Solar será a fornecedora de módulos solares fotovoltaicos.  

Essa planta funcionará ainda como um laboratório de treinamento, uma miniusina do Complexo Solar de Arinos da CTG Brasil, atualmente em construção no estado de Minas Gerais. Assim, esse projeto de P&D servirá futuramente como uma unidade de treinamento para as equipes técnicas da CTG Brasil, permitindo que eles realizem a testes e simulações, de novos tipos de equipamentos como parte de sua capacitação.

Atualmente, a CTG Brasil conta com investimentos em 17 usinas hidrelétricas e 11 parques eólicos, tornando-a uma das líderes em geração de energia do país com 9.3 GW de capacidade instalada e em construção.  

O diretor-geral do SENAI, Gustavo Leal, destaca que o projeto da usina solar é uma das iniciativas resultantes do acordo de cooperação de cinco anos entre a instituição e a CTG Brasil para Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (PD&I) em energia.

“Identificada a demanda da CTG Brasil, mobilizamos diferentes ecossistemas e instituições de base tecnológica nacionais e internacionais, incluindo nossos Institutos de Inovação, para desenvolver a solução”, explica Leal. 

Outra novidade da parceria com a CTG Brasil para este ano foi o Edital da Mobilidade Internacional para China. Os 27 Institutos SENAI de Inovação apresentaram propostas e três pesquisadores serão selecionados para conhecerem o ecossistema de inovação em energia da China. Eles viajam no segundo semestre e ficam cerca de três meses.

Sobre a CTG Brasil  

Uma das maiores geradoras de energia do País, a CTG Brasil conta com a dedicação de seus talentos locais e está comprometida em contribuir com a matriz energética brasileira, pautada pela responsabilidade social e respeito ao meio ambiente. A empresa tem investimentos em 17 usinas hidrelétricas e 11 parques eólicos, com capacidade instalada total de 8,3 GW. Criada em 2013, é controlada indireta da China Three Gorges Corporation, uma das líderes globais em geração de energia limpa. 

Sobre o SENAI  

O Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) é o principal parceiro da indústria para educação profissional e serviços de tecnologia e inovação para o setor. Criado em 1942, a instituição tem mais de 2,8 milhões de matrículas por ano, mais de 1,9 mil pesquisadores e 860 empresas beneficiadas pelos projetos de desenvolvimento, pesquisa e inovação.  

Sobre a Thymos Energia 

A Thymos Energia é uma das maiores empresas brasileiras de consultoria e gestão de energia. Com a missão de transformar o complexo em simples, a empresa oferece soluções de ponta a ponta da cadeia: geração, transmissão, distribuição, comercialização e consumo, além de orientar investidores que buscam oportunidades nesses segmentos.

A energia para o futuro precisa ser projetada, planejada e construída hoje e o trabalho da Thymos é dar o suporte necessário para que as melhores decisões sejam tomadas. 

Sobre a Wisebyte 

A Wisebyte é uma empresa que oferece soluções agregadas no desenvolvimento e aplicação de softwares para os setores de energia e telecomunicações. É especializada em sistemas de medição, softwares de alta complexidade, performance e escalabilidade, além de produtos de hardware IoT (Internet of Things) para uso industrial e Smart Cities.

Ela surgiu da aquisição do Grupo Delta Energia que, em 2022, anunciou a compra da BestDeal Technologies, empresa dedicada ao desenvolvimento de produtos para os mercados de telecomunicações, energia e indústria. Atualmente, a Wisebyte tem escritórios em Uberlândia (MG) e em São Paulo (SP) para atender em grande escala companhias nacionais e internacionais. 

Leia mais

SENAI e Vestas assinam parceria para formar profissionais em energia eólica
Conheça 4 projetos do SENAI com indústrias para a descarbonização do setor automotivo
SENAI e SESI têm R$ 4 milhões para startups criarem projetos inovadores de educação

Comentários