Prorrogadas até 24 de julho inscrições para mentoria gratuita do SENAI em fabricação de EPIs

Saiba como se inscrever na plataforma do Edital de Inovação para a Indústria em transmissão ao vivo na quinta-feira (16), no Facebook do SENAI e no Youtube e Facebook da CNI
A consultoria gratuita orienta sobre a fabricação, adequação e ampliação de produção de equipamentos de proteção individual

O Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) prorrogou até 24 de julho o prazo de inscrições da segunda chamada de mentoria gratuita para fabricação, adequação e ampliação de produção de equipamentos de proteção individual (EPIs). Estão disponíveis 350 vagas para o treinamento online, que dura oito horas. As inscrições podem ser feitas por empresas de todos os portes na plataforma do Edital de Inovação para a Indústria.

Transmissão ao vivo na quinta-feira (16), às 10h, explica o que é preciso para se inscrever na chamada Conexão. A live ocorrerá no Facebook do SENAI e no Youtube e Facebook da Confederação Nacional da Indústria (CNI). A abertura será feita pelo diretor de Operações do SENAI, Gustavo Leal; pelo gerente-executivo Marcelo Prim e pela gerente Vanessa Canhete, da Unidade de Inovação e Tecnologia. 

Cinco empresários, selecionados na primeira chamada, também contam como foi a experiência após o treinamento recebido: Adriana Prass, da Hora H Malhas e Confecções, de Mato Grosso; Edna Sena Souza Rocha, da Rocha Produto Hospitalar, de Goiás; José Henrique Riffel, da Tecnind Indústria e Comércio, do Paraná; Erasmo Fernandes e Amanda Soares, da Blu Conforteria, do Rio de Janeiro; e Olinda Souza, da Thays&Tamires Lingerie Confeções, do Ceará. 

“A demanda por equipamentos de proteção individual e coletiva ainda é grande. Por outro lado, as empresas têm um caminho para continuar a produzir e manter empregos. O objetivo da chamada Conexão é unir a demanda à oferta das empresas que podem iniciar ou adequar uma linha de produção para fabricar EPIs”, explica o diretor-geral do SENAI, Rafael Lucchesi.

Plano de Ação

Os consultores do SENAI ajudam as empresas a criar um plano de ação para realizar o trabalho, orientam sobre as especificações técnicas exigidas na fabricação de cada item conforme resoluções e consultas à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), bem como a adequação das instalações do processo produtivo. Sugerem ainda linhas para financiamento caso seja necessário algum investimento. A mentoria é realizada pela rede de 27 Institutos SENAI de Inovação e 60 Institutos SENAI de Tecnologia distribuídos pelo país. Na segunda etapa, o treinamento vai ocorrer até 21 de agosto.

O SENAI já selecionou 250 indústrias que decidiram fabricar máscaras de uso geral e cirúrgicas; protetores de acetato do tipo faceshield; antissépticos, entre outros produtos de prevenção à Covid-19. As empresas escolhidas localizam-se em 17 unidades da Federação: 34 são do Ceará, 32 do Paraná, 32 de Mato Grosso, 30 da Paraíba, 25 de Goiás, 22 de Pernambuco, 18 do Rio Grande do Norte, 16 de Minas Gerais, 15 de São Paulo, oito do Rio Grande do Sul, seis do Piauí, seis do Rio de Janeiro e duas do Espírito Santo. As demais selecionadas são de Tocantis, Bahia, Acre e Distrito Federal.

O Edital de Inovação para a Indústria também selecionou 34 projetos destinados a prevenir, combater ou tratar os efeitos do novo coronavírus. Serão investidos R$ 27,7 milhões na categoria Missão contra a Covid-19, realizada em parceria do SENAI com a Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii) e a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI). 

Na lista estão propostas para desenvolver plataforma de software de visão computacional e inteligência artificial de detecção à distância de pessoas febris; um revestimento antiviral em spray, baseado em nanopartículas de prata, que consegue inativar o vírus; um sistema de desinfecção para transportes públicos com raios ultravioleta do tipo C (UV-C); a adaptação de ventiladores pulmonares veterinários para uso por humanos, entre outras.

O Edital de Inovação para a Indústria é uma iniciativa do SENAI e do Serviço Social da Indústria (SESI). Desde que foi criado, em 2004, foram selecionados mais de mil projetos inovadores, nos quais foram investidos mais de R$ 680 milhões. As propostas selecionadas recebem recursos e apoio para desenvolvimento de uma prova de conceito, passando por processos de validação, de protótipo e de teste na rede de inovação e tecnologia do SENAI.

O SENAI pôs sua infraestrutura a serviço do combate à pandemia de coronavírus em quatro frentes: 1) detecção e diagnóstico, por meio do apoio à maior produção de testes para detecção do vírus; 2) prevenção, com ajuda à fabricação de equipamentos de proteção individual (EPI); 3) tratamento de doentes, ao trabalhar na manutenção de respiradores mecânicos parados e 4) apoio à fabricação e desenvolvimento de novos equipamentos.

A rede de inovação e tecnologia do SENAI possui 87 institutos distribuídos pelas cinco regiões do país. Desde que os 27 Institutos SENAI de Inovação foram criados, em 2013, mais de R$ 1 bilhão foram aplicados em 1.086 projetos concluídos ou em execução. A estrutura conta com mais de 700 pesquisadores, sendo que cerca de 44% possuem mestrado ou doutorado.

Atualmente, 15 centros são unidades Embrapii, e têm verba diferenciada para financiamento de projetos estratégicos de pesquisa e inovação. Já a estrutura de 60 Institutos SENAI de Tecnologia possui corpo técnico de cerca de 1.200 especialistas e consultores que prestam serviços buscando melhorar a qualidade de produtos e serviços, a produtividade e a competitividade dos negócios.

A Indústria contra o coronavírus: vamos juntos superar essa crise

Acompanhe todas as notícias sobre as ações da indústria no combate ao coronavírus na página especial da Agência CNI de Notícias

Relacionadas

Leia mais

VÍDEO: A gente acredita no poder da inovação - Conheça o Caninga
SENAI auxilia na criação de tecnologias portáteis para desinfectar ambientes e monitorar Covid-19
SENAI seleciona 250 indústrias para receber consultoria gratuita em fabricação de EPI

Comentários