Produto inovador vai facilitar a vida de quem não consegue movimentar os braços e as mãos

Trata-se de um braço articulado, desenvolvido por estudantes do SENAI, que pode ser acoplado à cadeira de rodas e que auxilia a pessoa na hora da sede e de usar o telefone
Os alunos trabalham no projeto há dois anos e meio

Beber água ou falar ao celular. São ações tão comuns que, muitas vezes, nem nos damos conta de que as realizamos, verdade? Mas o que parece simples para uns, não é tão simples para outros. Pessoas com tetraplegia, por exemplo, necessitam de assistência contínua para realizar tarefas como essas. Foi pensando nelas que um grupo de seis alunos do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI), de Ilhéus (BA) e o professor orientador Marcus Alexandre Ribeiro dos Santos elaboraram o projeto do assistente eletromecânico para cadeira de rodas, o ID’VOZ. 

Trata-se de um braço articulado que pode ser acoplado à cadeira de rodas e que auxilia a pessoa na hora da sede e de usar o telefone. O assistente não controla os movimentos da cadeira, mas facilita e muito a autonomia de quem tem dificuldade de mover os braços e as mãos.     

Mais conhecido como Ícaro, o assistente é acionado por um comando de voz. Ele se movimenta e aproxima o canudo de água da boca da pessoa. O mesmo acontece com o telefone. Neste caso, ainda há o benefício de o aparelho poder ser usado com mais privacidade e a qualquer momento, já que não seria mais necessário alguém segurá-lo ou posicioná-lo próximo ao usuário. 

O acessório foi desenvolvido em alumínio usinado e acrílico e pesa aproximadamente 400 gramas. Já está em fase de ajustes finais e será disponibilizado para comercialização. O professor Marcus Alexandre destaca que “não existe nada similar a esse braço, nem no Brasil, nem no exterior”. 

O grupo de alunos, formado por Angélica Thaís Rocha, de 21 anos, Carlos Alberto dos Santos, de 48 anos, Júlio César Junior, 24 anos, Luieslen Gomes, 34, Viviene de Souza, 39, e Tarcísio dos Santos, 30, trabalha no assistente há dois anos e meio. É um projeto de final de curso de Eletromecânica. Um projeto vencedor que ficou em primeiro lugar na etapa de Ilhéus do Prêmio Theoprax de 2018, realizado pelo SENAI da Bahia e o Instituto Frunhoffer-ICT. Também ficou entre os três primeiros no desafio Inova Bahia e foi apresentado na Mostra Inova, que ocorreu durante a 10ª edição da Olimpíada do Conhecimento, em julho deste ano, em Brasília.

Para o orientador, os ganhos para todo o grupo são ainda maiores. “É um crescimento humano muito grande por contribuir com o bem estar do outro. É emocionante ver como o produto vai ser útil, vai ajudar a superar dificuldades. Sem falar que os alunos tiveram de pesquisar sobre áreas e processos que vão muito além do que é oferecido no curso de Eletromecânica.Foi um projeto interdisciplinar”, finaliza.

Relacionadas

Leia mais

Estudantes apresentam minicoleções em desfile do SENAI Brasil Fashion
VÍDEO: Tem Vaga! Conheça os cursos mais procurados do SENAI
Aluno do SENAI cria luva para ajudar deficientes visuais

Comentários