Novo sistema ajuda cegos a escolherem produtos em supermercados

Alunos do SENAI do Amapá criaram o sistema inclusivo para auxiliar pessoas cegas na hora das compras
Alunos do SENAI AP que trabalharam para desenvolver o novo sistema

Uma invenção dos alunos do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) do Amapá busca tornar o simples ato de comprar mais fácil para os cegos. Procurados por uma jovem cega que tem dificuldades em escolher produtos e alimentos em supermercados, eles criaram um sistema tecnológico inclusivo para que esse público seja capaz de realizar compras com maior segurança e liberdade em estabelecimentos comerciais.

Os estudantes construíram o sistema com módulos eletrônicos e sensores ultrassônicos para serem instalados nas prateleiras, que detectam a presença da pessoa. “Ao se aproximar do sensor, o indivíduo recebe uma mensagem sobre o produto via bluetooth, por meio de um fone de ouvido. O aviso sonoro inclui informações sobre o produto, como tipo, preço e validade, e isso ajuda bastante os cegos e pessoas com deficiência visual”, explicou  o instrutor do SENAI/Amapá, Heraldo Souza.

O projeto-piloto foi construído por uma turma do curso de Eletricidade Industrial, do Centro de Formação Profissional de Santana (AP) e levou quatro meses para ser concluído.

O jovem Ruan Guimarães, de 21 anos, disse que foi um desafio e ao mesmo tempo uma realização pessoal participar da construção de um projeto que ajuda pessoas com deficiência. “Achei a ideia muito interessante. Eu tinha curiosidade sobre como funcionavam esses sistemas e pude entender na prática. Contribuir com um projeto que beneficia os cegos também me enche de orgulho”, disse Ruan.

NOVO SEMÁFORO - Em junho deste ano, os alunos do SENAI Amapá também criaram e testaram o semáforo adaptado com sistema que reconhece a presença do indivíduo e emite sinal sonoro para liberar a travessia na rua. A proposta do aparelho é emitir uma voz programada para indicar que o sinal está aberto e que o trânsito está liberado.

Com o diferencial de não precisar ser acionado por botão, o mecanismo foi sincronizado a um semáforo instalado em um cruzamento da cidade de Santana. O teste foi realizado na presença de representantes de órgãos de trânsito, que aprovaram a iniciativa.

Relacionadas

Leia mais

Senado comemora os 110 anos da educação profissional no Brasil
Canudo biodegradável de alunos do SESI leva medalha de ouro na Olimpíada do Futuro
Formado em eletrotécnica, deficiente auditivo disputa etapa nacional da WorldSkills

Comentários