Institutos SENAI de Inovação desenvolvem tecnologia para a indústria do futuro

Peças que “falam” por meio de chips e emitem informações essenciais; robôs capazes de tomar decisões e evitar choques com humanos, softwares que permitem ao condutor evitar sinais vermelhos são exemplos de soluções para a Indústria 4.0 criadas nos centros de excelência do SENAI
O supercomputador Yemoja é utilizado em pesquisas e cálculos matemáticos complexos que podem ajudar na exploração de petróleo na camada pré-sal

Enquanto se deslocam em voos comerciais ou particulares, os passageiros nem imaginam que uma intensa comunicação pode ocorrer entre equipamentos, componentes e até parafusos da aeronave. Por meio de chips, as peças “falam” entre si, ao emitir e guardar informações preciosas sobre seu funcionamento. Esse é um dos projetos de vanguarda desenvolvidos no Instituto SENAI de Inovação em Automação da Produção instalado no campus integrado SENAI-Cimatec em Salvador. O centro sedia três dos 25 institutos de pesquisa aplicada que compõem a rede nacional montada pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial, que revoluciona a forma de inovar no Brasil.

Soluções voltadas à indústria do futuro com tecnologia de vanguarda são especialidades dos Institutos SENAI de Inovação. Nos centros, é comum se ver rodeado por robôs de todos os portes, capazes de fazer funções quase humanas, como os manipuladores, que agarram e movem objetos, os autônomos, que tomam decisões por conta própria, ou os colaborativos, inteligentes a ponto de parar de trabalhar caso haja risco de machucar um ser humano. Atualmente, mais de um milhão de robôs manipuladores já estão instalados nas indústrias ao redor do mundo e a previsão é que esse número aumente exponencialmente com a difusão da tecnologia. 

No SENAI-Cimatec também está instalado o Yemoja, o segundo maior supercomputador em funcionamento da América Latina, utilizado em pesquisas e cálculos matemáticos complexos que podem ajudar, por exemplo, na exploração de petróleo na camada pré-sal. “O SENAI-Cimatec nunca diz não a um desafio. O que não fizermos internamente, buscamos parceiros nacionais e internacionais. Se pode ser feito no mundo, pode ser feito em nossos laboratórios”, explica o diretor de Tecnologia e Inovação do SENAI-Cimatec, Leone Andrade. Um desses projetos de nível internacional é o Flatfish, robô autônomo desenvolvido em parceria com a petroleira Shell para inspeção de estruturas de exploração de petróleo no fundo do mar (mais detalhes em outra reportagem). 

SINAL VERDE – Outra área essencial para as empresas interessadas em se inserir na era da Manufatura Avançada é a Informática, que também passou a fazer parte da rotina da maioria das pessoas em todo o mundo. Com um aplicativo criado no Instituto SENAI de Inovação em Tecnologias da Informação e Comunicação, localizado no Recife, é possível até fugir dos sinais vermelhos em uma avenida. O app fornece informações ao condutor de um veículo sobre a velocidade que deve ser mantida para o motorista pegar “uma onda verde”, evitando semáforos vermelhos.

O projeto foi feito em parceria com o Grupo Serttel, companhia especializada em mobilidade urbana e transportes sustentáveis. “O aplicativo pode ser muito útil a veículos como ambulâncias, bombeiros, ônibus coletivos e até para a segurança dos motoristas que dirigem de madrugada, por exemplo, e querem evitar os semáforos vermelhos”, explica o diretor do instituto, Dr. Sérgio Soares. “Além disso, o aplicativo emite informações e pode ajudar a empresa responsável pelos semáforos a tornar o trânsito mais fluido”, completa.

A inovação pode ainda ajudar a aumentar a performance e o conforto de veículos e tornar-se um diferencial no transporte de cargas. Pesquisadores do Instituto SENAI de Inovação em Sistemas Embarcados, de Florianópolis, em conjunto com funcionários da empresa Offlimits, desenvolveram um sistema que permite a regulagem de carga dos amortecedores enquanto o veículo está em movimento. Com um controle remoto sem fio e display com tela LCD, é possível fazer um ajuste preciso e eficiente dos amortecedores para diversos tipos de terrenos. 

Com equipamentos de ponta é possível desenvolver soluções para a indústria que podem poupar recursos e garantir maior segurança aos trabalhadores

REALIDADE VIRTUAL - O futuro também já é realidade no Instituto SENAI de Inovação em Sistemas Virtuais da Produção, no Rio de Janeiro, especializado em elaborar novos produtos e propor soluções com uso de tecnologias como realidade virtual e aumentada – que virou mania, por exemplo, com o jogo Pokemon Go. Com equipamentos como óculos 3D, luvas que reproduzem a sensação do toque em diferentes superfícies, scanners e softwares para simulações virtuais, é possível desenvolver soluções para a indústria que podem poupar recursos e garantir maior segurança aos trabalhadores. O instituto idealizou, por exemplo, um simulador para treinamento em segurança do trabalho que acelera o aprendizado.

Além de aumentar a produtividade das empresas, reduzir custos e aumentar a segurança o trabalho, a tecnologia da Indústria 4.0 pode ser usada ainda em políticas públicas de saúde destinadas a salvar vidas. Um dispositivo eletrônico está sendo desenvolvido pelo Instituto SENAI de Inovação em Microeletrônica, sediado em Manaus, em parceria com a Fiocruz para detectar cinco doenças tropicais. Os protótipos do equipamento, que utiliza testes rápidos de sangue, já estão em fase experimental.  

“A metodologia escolhida permite realizar ensaios em quatro horas com um equipamento portátil e de baixo custo, comparado com equipamentos de laboratório tradicionais”, explica o diretor do instituto, Dr. José Roberto Casarini. “Os métodos mais tradicionais de detecção de doenças tropicais levam uma semana para emitir o resultado”. Por seu baixo custo, os módulos do equipamento poderiam ser usados, por exemplo, em postos de atendimento do Sistema Único de Saúde (SUS). 

LEIA TAMBÉM - Na reportagem desta quinta-feira (21), conheça um pouco da atuação dos Institutos SENAI de Inovação nas áreas de Tecnologias em Materiais e Estruturas e de Tecnologias em Processamento de Materiais.

A SÉRIE - Acompanhe todas as matérias da série especial da Agência CNI de Notícias Institutos SENAI de Inovação: o caminho para a inovação:

19/06/2017Institutos SENAI de Inovação revolucionam forma de inovar no Brasil

20/06/2017 Com tecnologias avançadas, Institutos SENAI de Inovação produzem novos materiais que mudam a vida das pessoas

21/06/2017Institutos SENAI de Inovação desenvolvem tecnologia para a indústria do futuro

21/06/2017 Robô autônomo para inspeção em águas profundas é inovação brasileira de padrão internacional

22/06/2017Projetos dos Institutos SENAI de Inovação ajudam a diminuir riscos e garantir a segurança de trabalhadores

23/06/2017 - Indústria de cosméticos tem apoio dos Institutos SENAI de Inovação para ser mais competitiva

Relacionadas

Leia mais

Cortar investimentos em inovação é dar tiro no pé, diz professor da INSEAD
Digitalização e conectividade tornam indústrias mais produtivas
Futuro da indústria no mundo digital é o tema central do Congresso Brasileiro de Inovação da Indústria

Comentários