Empresários visitam centros de referência em inovação em cinco estados

Imersão, de 5 a 9 de novembro, organizada pela MEI e pela Embrapii, busca aproximar empresariado de instituições de conhecimento e estimular realização de projetos de P&D; inscrições estão abertas e são gratuitas
Visita realizada em 2017 ao Instituto SENAI de Inovação Engenharia de Polímero, em São Leopoldo (RS)

A Mobilização Empresarial pela Inovação (MEI) e a Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii) realizam, de 5 a 9 novembro, visitas a centros de referência em pesquisa, desenvolvimento e inovação (P&D) em cinco estados: Bahia, Minas Gerais, São Paulo, Paraná e Rio Grande do Sul. A iniciativa faz parte do Programa de Imersão em Ecossistemas de Inovação que busca aproximar o empresariado brasileiro de instituições de conhecimento a fim de viabilizar projetos inovadores determinantes para competitividade da indústria. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas no site da MEI. As visitas são organizadas pelo Instituto Euvaldo Lodi (IEL) em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI).  

A imersão começa pelo Campus Integrado de Manufatura e Tecnologia SENAI-Cimatec em Salvador, reconhecido como uma das principais instituições de ciência e tecnologia do país. Os participantes vão conhecer as instalações dos três Institutos SENAI de Inovação localizados no campus: em Automação da Produção, em Logística e em União e Conformação de Materiais. Entre os projetos desenvolvidos no Cimatec de padrão global está o Flatfish, robô submarino autônomo que será usado na inspeção de dutos de petróleo em águas profundas, realizado em parceria com a petroleira Shell e o instituto alemão de inteligência artificial DFKI. O centro agora apoia a empresa italiana Saipem, que irá comercializar o equipamento a petrolíferas em todo o mundo. 

Na Bahia, o grupo também irá visitar o Complexo Industrial Ford Nordeste Camaçari, que conta com um modelo de produção inovador chamado montagem modular sequenciada, aplicado pela primeira vez dentro da Ford Mundial. O complexo, que conta com mais de 535 robôs e sistemas eletromecânicos de automação, provocou transformação social na região e introduziu conceitos inovadores de produção e de conservação ambiental. 

MICROTECNOLOGIA Outra parada dos participantes do programa será na capital mineira, onde eles irão conhecer o Centro Suíço de Eletrônica e de Microtecnologia (CSEM), especializado em eletrônica impressa, e o Instituto SENAI em Metalurgia e Ligas Especiais, referência no desenvolvimento de novas ligas metálicas para empresas como Votorantim, Usiminas e Gerdau. 

No terceiro dia, em Campinas, a imersão visita o Centro de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação Instituto Eldorado, dedicado à Tecnologia da Informação e Comunicação e Telecom. A instituição é especialista em recursos da chamada Indústria 4.0 – internet das coisas (IoT), big data, analytics, realidades virtual e aumentada, entre outros. Ainda em São Paulo, os visitantes vão conhecer o Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecomunicações (CPqD), uma das instituições responsáveis por um dos mais expressivos e inovadores programas de P&D em sistemas de comunicações ópticas do país. 

O grupo formado por executivos de empresas e representantes de instituições públicas e privadas também irá a Curitiba, onde irá conhecer o Centro de Pesquisa e Tecnologia Lactec, especializado em Eletrônica Embarcada, e o Instituto SENAI de Inovação em Eletroquímica. Biomateriais que imitam ossos humanos para aplicações médicas, tintas elaboradas com nanotecnologia que são autorregenerativas e protegem metais da corrosão de forma inteligente, cerâmicas com características bactericidas para uso em indústrias alimentícias são alguns dos projetos de pesquisa do centro de P&D do SENAI. 

NOVOS PRODUTOS – A semana de imersão terminará no Rio Grande do Sul com visitas aos Institutos SENAI de Inovação em Polímeros e Metalmecânica e ao Grupo FCC. Instalado em São Leopoldo, o Instituto SENAI de Inovação em Polímeros pesquisa novos insumos, aplicações e composições como borrachas, plásticos, tintas e adesivos com uso de equipamentos de última geração que simulam o ambiente industrial. O centro do SENAI especializado em metalmecânica, por sua vez, conta com equipe técnica especializada em desenvolver novos produtos, máquinas e componentes para a indústria dos segmentos automotivo, aeronáutico, petroquímico, odonto-médico hospitalar, entre outros. Já a FCC é a mais diversificada produtora de adesivos e de elastômeros termoplásticos da América Latina. Cerca de 30% do faturamento da empresa vêm de produtos criados há menos de dois anos.

O Programa de Imersões em Ecossistemas de Inovação foi idealizado pela MEI, grupo formado por 200 das maiores lideranças empresariais do país coordenado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). Mais de 200 executivos de uma centena de organizações participaram das visitas organizadas pelo IEL desde 2016. Nas missões, foram visitados cerca de 80 centros, empresas e instituições que atuam em projetos de fronteira. Dos resultados mapeados, destacam-se negociação para parcerias em PD&I, parcerias do tipo B2B, revisão de portfólio e governança para inovação de empresas participantes, além da revisão de currículos de instituições de ensino que integraram as delegações.

Relacionadas

Leia mais

CNI e IEL promovem imersão em inovação na Itália e Suíça em parceria com a Universidade de Bocconi
VÍDEO: Imersão em ecossistemas de inovação aproxima empresários da indústria brasileira do futuro
Produtos inovadores supreendem participantes de programa de imersão

Comentários