Valendo! Começa a etapa regional do Torneio SESI de Robótica

Disputas no Rio Grande do Sul e em São Paulo abrem a fase regional da competição da FIRST LEGO League. Esta edição terá projetos inovadores sobre cidades inteligentes e desafios com robôs de Lego
Das 30 equipes na disputa em São Leopoldo (RS), 5 passam para a fase nacional

Play! Começou a etapa regional do Torneio SESI de Robótica FIRST LEGO League. Na cidade de São Leopoldo, na região metropolitana de Porto Alegre, 30 equipes estão na disputa. São estudantes de 9 a 16 anos de várias cidades do estado que estão encarando o desafio City Shaper (cidades inteligentes e sustentáveis). Os times foram desafiados a buscar soluções inovadoras para problemas urbanos como transporte, acessibilidade, desastres naturais, além de casas e prédios sustentáveis.

Para o professor de Teatro do SESI de Gravataí, Anderson Morais Demutti, o tema estimula os estudantes a pensar sobre a realidade onde vivem e como isso pode influenciar na formação deles. "A gente não trabalha arquitetura na escola, mas o torneio incetiva a pesquisa sobre essa área. A partir daí, eles podem se interessar em ser engenheiros, arquitetos ou designers. O torneio tem um grande valor nesse sentido. De trazer temas que muitas vezes não são trabalhados em sala de aula", diz.

A estudante Lisandra Machado, 12 anos, também do SESI de Gravataí, está empolgada com a nova temporada e considera importante pensar sobre o futuro das cidades. "A gente tem de cuidar do lugar onde a gente vive. É a nossa comunidade. A gente bota muita culpa na prefeitura, mas temos de fazer nossa parte também, como por exemplo, com relação ao lixo", afirma. 

"A gente tem de cuidar do lugar onde a gente vive. É a nossa comunidade", Lisandra Machado

AS TAREFAS - No torneio, os estudantes são avaliados em quatro categorias. Uma delas é o Desafio do Robô, quando os estudantes colocam os robôs de Lego para cumprir determinadas missões. Para isso, o robô pode capturar, transportar, ativar ou entregar objetos na mesa de competição. 

Nesta temporada, com o tema City Shaper, os robôs vão atuar, por exemplo, com guindastes, elevador de obras, drone de inspeção, construções em aço e liberação de pistas com engarrafamentos. Tudo de forma lúdica, simulando situações reais. 

Os robôs, projetados e construídos pelos próprios alunos, também são avaliados na categoria Design do Robô. Os times podem utilizar sensores de movimento, cor, controladores e motores. Os juízes levam tudo isso em consideração, além da estratégia e programação. 

Os juízes avaliam ainda o Projeto de Inovação, que é a solução inovadora sobre o desafio da temporada. O projeto é apresentado para os outros competidores e o público visitante nos torneios de robótica. Por fim, na categoria Core Values, os estudantes precisam mostrar que sabem trabalhar em equipe, com inclusão, diversão e inovação.

Para a estudante do SESI de Montenegro, Bianca Machado da Silva, 12 anos, é tudo novidade. Ela participa pela primeira vez de um torneio de robótica. "Eu me interessei pela robótica porque gosto muito de tecnologia. E tem mais, isso aqui é aprendizado e brincadeira. A gente aprende muitas coisas novas e também tem brincadeiras e dancinhas", conta.

Para a estudante Bianca Machado, o torneio de robótica é aprendizado e brincadeira

MAIS TORNEIOS - Além da disputa em São Leopoldo, que termina nesta quinta-feira (12), há outras disputas em outros estados. As melhores equipes da fase regional, garantem vaga no torneio nacional, em 2020.  Veja o calendário da fase regional. 

No Brasil, desde 2013, o Serviço Social da Indústria (SESI) é o operador oficial do torneio (etapas regionais e nacional). 

REDES SOCIAIS - Acompanhe tudo sobre a temporada 2019/2020 do Torneio de Robótica FIRST LEGO League aqui na Agência CNI de Notícias e nos perfis do Torneio no Instagram e Facebook

Relacionadas

Leia mais

A vida nas cidades é o tema da nova temporada do Torneio de Robótica FIRST LEGO League
Após Festival SESI de Robótica, jovens conquistam 33 prêmios em torneios internacionais
VÍDEO: Robótica transforma o aprendizado em escolas do SESI

Comentários