SESI leva oficina de robótica às escolas públicas de Mato Grosso do Sul

A primeira instituição a receber o projeto foi a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) da cidade de Aparecida do Taboado
Nas oficinas, os alunos do SESI apresentam o universo do mundo tecnológico, criativo e inovador da programação e dos robôs

Time oficial de robótica da Escola do Serviço Social da Indústria (SESI) de Aparecida do Taboado (MS), o AlphaDroid’s, vai levar oficinas de robótica à rede pública de ensino do município. A primeira instituição a receber o projeto foi a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) e, durante a visita, os alunos apresentaram o universo do mundo tecnológico, criativo e inovador da programação e dos robôs.

A ação integra um projeto extracurricular desenhado pelos professores do SESI e articuladores da robótica, Luciana Cavalcante e Washington Carvalho, para, ao longo de 2019, levar a robótica educacional a diversas instituições da rede pública de ensino. Já estão previstas visitas às escolas estaduais Georgina e Ernesto Rodrigues, Instituto Dom Afonso, Casa de Repouso e Escola Municipal João Alves Lara.

Na APAE, com apoio da coordenadora pedagógica da associação, Juliana Armelin, os alunos do AlphaDroid’s vivenciaram uma troca de experiências e apresentaram os conceitos da robótica, que vão muito além da tecnologia e inovação. “A realização desta oficina foi extremamente importante para o crescimento dos integrantes do AlphaDroid's, que compartilharam seus conhecimentos e retornaram enriquecidos com valores fundamentais que desejamos aos nossos alunos”, disse a diretora da Escola SESI de Aparecida do Taboado, Silvia Watanabe.

No dia a dia dos treinos, o time trabalha e dissemina os principais valores da robótica, como o trabalho em equipe, persistência e criatividade. “Não imaginava que seria uma oficina tão produtiva! Produtiva no sentido não somente de resolver situações como consertar ou ajustar uma programação, uma peça de robô, mas de compartilhar o conhecimento”, avaliou a professora Luciana Cavalcante. “Essa socialização entre os nossos estudantes e os estudantes da APAE foi de uma plenitude, de um valor imensurável para o desenvolvimento, amadurecimento de todos”, completou.

A coordenadora da APAE, Juliana Armelin, ressaltou os resultados que a visita trouxe para a instituição. “As apresentações dos projetos de robótica educacional oportunizaram aprendizagem e desenvolvimento acadêmico, social e cognitivo aos alunos. Porém, acima de tudo isso, ficou evidente a socialização e interação entre os alunos e suas respectivas realidades. Foi fascinante, ambos curiosos e deslumbrados com as novidades que os rodeavam”, comentou.

Para os integrantes do time de robótica, a experiência foi um momento para mais aprender do que ensinar. “Fomos fazer uma oficina de robótica na APAE mas acabamos dançando, cantando, interagindo e fazendo amizades, contou Maria Eduarda Félix, que está no 8º ano do Ensino Fundamental. 

“Fiquei muito emocionada em ver as crianças, jovens e idosos que estudam na APAE empolgados com brincadeiras, robótica e fotos. Foi emocionante, divertido, uma experiência incrível”, acrescentou Rani Valentin, do 7º ano do Ensino Fundamental.

Relacionadas

Leia mais

Brasil conquista prêmios no Campeonato Mundial de Robótica e se consolida como referência internacional
Robótica inspira alunos a gostarem de cálculo e os credencia para o mercado de trabalho
Veja quem são os campeões do Festival SESI de Robótica 2019

Comentários