BID confirma: educação técnica aumenta chances de conseguir emprego

Profissionais que foram demitidos durante período de crise ampliaram em 30% chance de se recolocarem no mercado após fazerem curso do SENAI em busca de requalificação
Aluno do curso técnico de Redes de Computadores, na FIRJAN

Profissionais que fazem um curso de qualificação profissional no Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) após terem perdido o emprego ampliam em 30% suas chances de recolocação no mercado de trabalho no período de um ano após a demissão. Além disso, os programas de qualificação profissional do SENAI são efetivos em aumentar a empregabilidade de curto prazo e salários dos alunos, facilitando a mudança de setores e ocupações.

Os dados estão num estudo realizado por economistas do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) com o objetivo de averiguar se as iniciativas voltadas à qualificação profissional são capazes de aumentar a empregabilidade de trabalhadores desempregados em setores expostos a competição internacional.

Na quinta-feira (24), o trabalho foi apresentado pelo economista do BID José Claudio Pires, durante o Seminário Pelo Futuro do Trabalho, realizado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), em parceria com centrais sindicais.

Economista do BID José Claudio Pires, apresentou o estudo durante o Seminário Pelo Futuro do Trabalho

O estudo dos economistas do BID colheu dados da Relação Anual de Informações Sociais (RAIS), do Ministério da Economia, numa amostra aleatória de 10% (empresa-empregados), acompanhando trabalhadores de idade entre 16-64 anos, demitidos do setor industrial ao longo do período 2009-2014.

Denominada “Comércio Internacional, Capacitação e Realocação de Mão de Obra: Uma experiência brasileira”, a pesquisa detectou que os cursos de qualificação profissional contribuem para a empregabilidade de alunos que trabalhavam em setores industriais que sofrem elevada concorrência de importações. De acordo com o estudo, os efeitos são maiores para alunos com o ensino médio, com idades entre 29-36 anos. 

A pesquisa aponta ainda que esses cursos ajudam a realocação de trabalhadores em setores em que o país tem vantagem comparativa. De acordo com o gerente-executivo de educação profissional do SENAI Nacional, Felipe Morgado, os dados da pesquisa confirmam a eficácia do programa de qualificação profissional da entidade.

“O SENAI oferece uma grande variedade de cursos que somam novas habilidades, e contam com conteúdo atualizado de acordo com as necessidades da indústria. Como nossas estruturas são modernas, conseguimos oferecer a melhor formação profissional do mercado”, afirma Morgado.

A QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL - Os cursos de qualificação profissional do SENAI são indicados para jovens que procuram uma carreira ou para profissionais que buscam desenvolver novas competências e capacidades para entrar no mundo do trabalho. São destinados a maiores de 15 anos, com escolaridade variável de acordo com o curso escolhido. São cursos de média duração, com carga horária média de 220 horas (3 meses). Ao término, o aluno recebe um certificado de conclusão. Exemplos: Auxiliar de Confeitaria, Auxiliar de Manutenção Mecânica, Auxiliar em Operação de Sonda de Perfuração Terrestre, etc.

SAIBA MAIS: Clique em Mundo SENAI para informações sobre cursos de educação profissional. 

Relacionadas

Leia mais

Até parece Libertadores! O SENAI dá uma goleada de vagas
VÍDEO: Brasil precisa da reforma da Previdência. Veja no Minuto da Indústria
De olho no mercado de arte digital para games

Comentários