Indústria e governo juntos pelo desenvolvimento do Nordeste e da Amazônia Legal

Grupo de trabalho vai impulsionar o desenvolvimento e acelerar o crescimento regional
Presidente da FIERN, Amaro Sales e o Ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto

Representantes da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Associação Nordeste Forte, Ação Pró-Amazônia e Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) formalizaram nesta terça-feira (28) a criação de um grupo de trabalho focado em soluções para fortalecer a indústria na Amazônia Legal e Nordeste. Na pauta, também entrou a renovação do acordo de cooperação técnica a ser assinado entre CNI e a Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene) para, entre outras ações, realizar um programa de qualificação com foco na ampliação do acesso a linhas de crédito diferenciadas.

Durante a reunião realizada no MDR e presidida pelo ministro Gustavo Canuto, foi feito um balanço das ações do Ministério e das entidades representativas da indústria em 2019 e apresentada a agenda 2020. O ministro informou que as prioridades do governo para o Nordeste são a infraestrutura hídrica e as fontes renováveis de energia. Para a Amazônica Legal, são o saneamento e a agregação de valor para potencializar cadeias produtivas já existentes.

Entre os destaques da reunião, uma carta assinada pelos representantes do setor industrial solicitando a exclusão dos Fundos de Apoio ao Desenvolvimento Regional da PEC 187/2019, em tramitação no Congresso Nacional. O texto da PEC possibilita a extinção dos Fundos Públicos e a utilização de recursos não aplicados para o pagamento de dívida pública. 

Representantes da indústria avaliaram como bastante positiva a reunião e a criação do GT com o MDR. “Costumo dizer que o Nordeste não é um problema para o Brasil, mas uma solução. Com investimentos e ações adequadas temos condições de impulsionar o crescimento do país”, comentou o presidente das Associação Nordeste Forte e da Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Norte (FIERN), Amaro Sales.

“O desenvolvimento da região Amazônica não diz respeito só ao norte, mas ao Brasil e ao mundo. Nesse sentido, fiquei feliz com a atenção que o governo tem dado às nossas demandas e em poder manifestar claramente o desejo de participarmos da discussão sobre os investimentos em saneamento na nossa região”, comentou o presidente da Ação Pró-Amazônia e da Federação das Indústrias do Estado do Acre (FIEAC), José Adriano. 

Também participaram do encontro o secretário-executivo do MDR, Mauro Biancamano; a secretária nacional de Desenvolvimento Regional e Urbano do ministério, Adriana Alves; o superintendente da Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia (Sudam), Paulo Roberto Correia; o superintendente da Sudene, Douglas Cintra; o presidente do Banco do Nordeste, Romildo Carneiro; presidentes e vice-presidentes das federações das indústrias das região Amazônia e Nordeste, o gerente-executivo de Relacionamento com o Poder Executivo da CNI, Pablo Silva Cesário, e a subsecretária de Planejamento Integrado, Fundos e Incentivos Fiscais, Cilene Dórea.

Relacionadas

Leia mais

IEL 51 anos: inovação para a indústria brasileira
Confiança do empresário da construção é a maior  dos últimos 10 anos, informa pesquisa da CNI
SENAI forma profissionais para trabalhar na construção de parque de energia eólica

Comentários