Indústria completa 11 meses consecutivos de alta no emprego, avalia CNI

Indicadores industriais também mostram que a utilização da capacidade instalada cresceu em junho e atingiu o maior patamar desde 2013

Trabalhadores usando máscaras de proteção para segurança contra a Covid-19
A última vez que as altas mês a mês registraram desempenho nessa intensidade foi em 2010

Os Indicadores Industriais, da Confederação Nacional da Indústria (CNI), mostram que a indústria fechou o primeiro semestre de 2021 melhor que antes da pandemia de Covid-19. A Utilização da Capacidade Instalada (UCI) cresceu novamente em junho e se encontra no maior patamar desde 2013.

São dois meses consecutivos de alta e quatro meses de UCI acima de 80%. O emprego industrial segue acumulando altas. Com o resultado de maio, são onze meses consecutivos de crescimento.

Temas em destaque: Engenharia, Economia, Educação Executiva, Seguranção e Saúde do Trabalhador, Novo Ensino Médio, Privatização

De acordo com o gerente de Análise Econômica da CNI, Marcelo Azevedo, as altas mensais do emprego vem sendo significativas e o nível da UCI se mantém alto há vários meses.

“Os indicadores mostram que a indústria encerrou o primeiro semestre com uma atividade forte. A utilização da capacidade instalada cresceu da passagem de maio para junho, o que vem sendo traduzido em empregos. Já temos 11 meses consecutivos de crescimento nas contratações. Mesmo o faturamento e horas trabalhadas, que têm oscilado bastante, permanecem acima do registrado antes da pandemia”, explica Marcelo Azevedo.

Faça o download na íntegra:

Relacionadas

Leia mais

Tecnologias devem gerar 700 mil empregos na indústria de transformação nos próximos 10 anos
Cursos gratuitos, orientação profissional e vagas para conseguir emprego
Indústria sente efeitos da pandemia com a falta e alto custo das matérias-primas no segundo trimestre de 2021

Comentários