Empresas participantes do Procompi aumentaram em 25% a produtividade

Programa desenvolvido pela CNI e Sebrae atendeu 2.224 empresas de todas as regiões do Brasil nos últimos quatro anos. Publicação apresenta casos de sucesso
34% das empresas também apontaram melhorias em produtos, processos ou serviços

A última edição do Programa de Apoio à Competitividade das Micro e Pequenas Indústrias (Procompi) superou a meta e registrou um aumento médio de 25% na produtividade das 2.224 empresas atendidas em 22 estados de todas as regiões do Brasil. Realizado entre 2016 e 2020, pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) em parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), o Prcompi foca as ações em inovação, acesso a mercados, crédito, meio ambiente, desenvolvimento empresarial e articulações no território para ajudar as empresas a buscarem parceiros estratégicos. 

Entre os beneficiados estão as indústrias de fogos de artifício na região de Santo Antônio do Monte, no centro-oeste de Minas Gerais. O Procompi, por meio do Instituto Euvaldo Lodi (IEL) e do Sebrae, mobilizou 28 indústrias de explosivos na região, em um trabalho desenvolvido em estreita parceria com o Sindicato das Indústrias de Explosivos no Estado de Minas Gerais (Sindiemg), que reúne empresas responsáveis por 11 mil postos de trabalho direta ou indiretamente. 

Com ações individualizadas, as empresas envolvidas conquistaram um aumento de 99% de produtividade e redução de 32% dos custos de produção além do ganho com a exposição nos meios de comunicação locais.

Dentro das ações voltadas para cada empresa, foram realizadas capacitações em temas como planejamento estratégico para governança, Planejamento e Controle da Produção - PCP, segurança dos trabalhadores, capacitação gerencial e gestão financeira.

"Apoiar a pequena empresa industrial, buscar novos mercados, inovar e aumentar a competitividade são estratégias fundamentais para revigorar a economia brasileira", afirma o presidente da CNI, Robson Braga de Andrade.

Para registrar as ações relizadas e os resultados alcançados nos 22 estados em que o Procompi foi realizado, a CNI e o Sebrae elaboraram a publicação Procompi – Casos de Sucesso

Além do aumento médio de produtividade de 25%, uma em cada cinco empresas conseguiu reduzir o custo de produção e 34% das empresas atendidas em projetos de competitividade apontaram melhorias em produtos, processos ou serviços. O índice é 19 pontos percetuais maior que a meta estipulada no início do programa. 

Mais competitivas e mais sustentáveis

Além de aumentar a produtividade das empresas atendidas, o Procompi ajudou as empresas a implementarem ações voltadas para o meio ambiente. Um total de 32% das indústrias atendidas no projeto competitividade fizeram um movimento nesse sentido. É o caso das indústrias de utensílios de cozinha do Ceará.

A Federação das Indústrias do Estado do Ceará (FIEC) e o Sebrae no Ceará reuniram 19 empresas, que receberam apoio para cumprir, passo a passo, o processo de certificação de seus produtos. Em pouco mais de um ano depois, a maioria (58%) adotou pratica sustentáveis e, em média, o volume de negócios aumentou em 23% nas empresas participantes.

A primeira edição do Procpompi começou em 2000. Em 20 anos, a CNI e o Sebrae atenderam mais de 8,8 mil empresas de 28 setores industriais em todo o Brasil. O aumento médio de produtividade entre as empresas participantes ao longo dessas duas décadas foi de 20%.

Relacionadas

Leia mais

Empresas ganham em produtividade com a indústria 4.0
CNI e Sebrae investirão R$ 21 milhões para estimular exportação em pequenos negócios
Técnicos da CNI visitam microempresas atendidas pelo Procompi

Comentários