Coronavírus provoca queda recorde na confiança empresarial

ICEI diminui 25,8 pontos em abril, após a forte contração na atividade e elevada incerteza por conta da pandemia do novo coronavírus
A falta de confiança atinge todos os setores da indústria

O Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI), elaborado mensalmente pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), alcançou o menor valor da história neste mês de abril: 34,5 pontos. A queda de 25,8 pontos na comparação com março foi recorde. Desde janeiro, a queda acumulada é de 30,8 pontos.

“A queda na confiança dos empresários pode contribuir para a paralisação dos investimentos, ou seja, para o agravamento da crise econômica”, avalia o diretor de Desenvolvimento Industrial da CNI, Carlos Abijaodi.

De acordo com o relatório técnico do ICEI, “há dificuldades no fluxo de insumos, mercadorias e trabalhadores e as medidas de isolamento social e o consequente ‘desaparecimento do consumidor’ resultou em forte queda na receita das empresas”. O estudo também pontua a redução e o encarecimento do crédito, enquanto as despesas fixas continuam.

Antes da queda de 25,8 pontos, registrada entre março e abril, o maior recuo num único mês havia sido de 5,8 pontos, em junho de 2018, como consequência da greve dos caminhoneiros. A atual redução traduz o cenário atual de queda forte na atividade econômica e as dúvidas sobre quando o mundo voltará à normalidade.

Segundo o economista da CNI Marcelo Azevedo, o atual cenário global de incertezas impossibilita a realização de projeções reais para a economia. “Ainda não sabemos quanto tempo durará a crise e, a cada dia, o governo tem anunciado novas ações de estímulo. Estamos acompanhando e avaliando o cenário diariamente”, explica.

Também em entrevista à revista Indústria Brasileira, o professor de economia da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), Antonio Carlos Alves dos Santos, concorda que é difícil calcular qualquer tipo de perda, mas diz que é possível ser otimista. “As rotas comerciais entre a maioria dos países ainda estão abertas. A expectativa é que, quando tudo estiver sob controle, nos próximos meses, as exportações sejam retomadas normalmente”, diz.

O ICEI de abril mostra, ainda, que a queda dos índices de confiança das diferentes regiões foi expressiva, com mais impacto no Sul, cujo índice acumulou uma queda de 34,6 pontos entre janeiro e abril. No Norte, foi registrada a menor queda na mesma base de comparação, mas ainda muito significativa, de 26,8 pontos. 

A falta de confiança, contudo, alcança todos os setores da indústria. O indicador é menor entre os empresários da Indústria de Transformação (34,3 pontos) e da Construção (34,8 pontos) e um pouco maior entre os da Indústria Extrativa (39,1 pontos).

A Indústria contra o coronavírus: vamos juntos superar essa crise

Acompanhe todas as notícias sobre as ações da indústria no combate ao coronavírus na página especial da Agência CNI de Notícias.

Relacionadas

Leia mais

SENAI conserta dezenas de respiradores hospitalares em Mato Grosso do Sul
SESI de São Paulo desenvolve plataforma digital própria para volta às aulas
Sistema Indústria busca manter ações, apesar dos cortes

Comentários