Inova Talentos une bolsistas de todas as idades em projetos de pesquisa

Doutora em Ciências da Informação, a bolsista Valéria Macedo trocou o mercado financeiro para realizar o sonho de ser pesquisadora na área de inovação

Valéria foi selecionada pelo Inova Talentos em abril de 2021 para participar do primeiro projeto de pesquisa após concluir o doutorado

A pesquisa é uma atividade contínua, utilizada para descobrir e interpretar os fatos de uma situação e, com eles, solucionar problemas de diversos temas. Ela pode ser qualitativa, bibliográfica, descritiva, entre outros tipos, e está presente no nosso cotidiano de formas variadas. Desde quando queremos checar uma informação e colocamos o assunto nos buscadores da internet, até as mais complexas feitas por especialistas como a doutora em Ciência da Informação Valéria Macedo, 58 anos, bolsista do Inova Talentos.

Atualmente, Valéria compõe um grupo de pesquisadores que trabalham em um projeto da Inovabra - programa de inovação do Bradesco em parceria com entidades como o Instituto Euvaldo Lodi (IEL)

Ela ficou sabendo do projeto por meio do Inova Talentos, iniciativa do IEL que impulsiona projetos de inovação em empresas e capacita profissionais por meio de bolsas. O processo seletivo aconteceu no início de 2021 e em abril Valéria foi selecionada para o seu primeiro trabalho de pesquisa. Isso mesmo, o primeiro! 

Apesar de almejar a carreira de pesquisadora desde nova, ela só conseguiu se dedicar ao ramo a partir de 2013, quando decidiu deixar o mercado financeiro onde atuou por cerca de 20 anos. 

“Sempre fui apaixonada pela busca de conhecimento. Quando veio a crise econômica de 2013, decidi me especializar e tentar o mundo das pesquisas, pois é o que eu sempre quis. Hoje, estou fazendo aquilo que eu gosto, em uma área que não é tão desconhecida pra mim. Esse projeto buscava profissionais com conhecimentos que adquiri nos estudos, mas também que adquiri ao longo da carreira no mercado”, conta a bolsista. 

Inova Talentos a distância

Além de ser o primeiro projeto da pesquisadora, depois de concluir o doutorado, é uma edição com adaptações para a maioria dos bolsistas devido a pandemia de Covid-19. O processo seletivo da Valéria, por exemplo, foi realizado todo a distância. Graças a tecnologia, ela está atuando em home office, do Rio de Janeiro, enquanto os demais parceiros e a sede do projeto ficam em São Paulo. 

"Estou em casa, no Rio, mas no processo da seleção conversamos sobre a hipótese do fim da Covid-19 e a necessidade deu ir para São Paulo. A tecnologia me fez ficar próxima de pessoas que estão em outra geolocalização, além de me fazer sentir que ainda sou útil na minha área" conta a pesquisadora que também afirma que "as pessoas aceitaram mais a tecnologia e as redes sociais durante essa pandemia". 

Essa edição também é a primeira para o engenheiro Elder Yudi Nakashima, 33 anos, tutor de Valéria na Inovabra. O profissional é coordenador de uma equipe com quatro bolsista, incluindo Valéria.

"São perfis diferentes. Pessoas com formações e conhecimentos diferentes que juntos se completam. Já fui tutor de menores aprendizes antes, mas é a minha primeira vez em um projeto como esse. É uma responsabilidade grande, mas tem sido bastante produtivo", explica Nakashima, que é formado em Engenharia Elétrica com ênfase em Computação. 

Tanto para o tutor como para a bolsista, os métodos do Inova Talentos e do Inovabra de incentivo a Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (PD&I) podem ajudar empresas de todos os portes solucionarem demandas que atrasam o crescimento delas.

Valéria ainda reforça que programas como esses enriquecem o currículo de pesquisadores de todas as idades. "Independente da idade, sejam jovens recém formados ou pessoas como eu, que decidiram mudar de carreira profissional, participar do Inova Talentos e de pesquisas como essa é uma experiência que abre os horizontes de qualquer profissional. Já recomendei até para meus colegas de curso", afirma a pesquisadora. 

O que é o Inova Talentos

Criado em 2014, o programa Inova Talentos surgiu com o objetivo de incentivar a criação de projetos de inovação nas empresas e institutos privados de pesquisa e desenvolvimento (P&D). O IEL é responsável por recrutar, selecionar e capacitar profissionais com vivência acadêmica, para levar uma nova visão e acelerar os seus projetos de inovação.

O programa possui duas vertentes, uma em parceria com o Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) e outra desenvolvida com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPQ). Ambas estão com o edital aberto e aceitam inscrições de empresas, estudantes e egressos da faculdade.

Desde a criação, o programa Inova Talentos já atendeu 320 empresas, promoveu 1132 projetos e concedeu 2.239 bolsas.

Conheça outros temas: EconomiaEconomia CircularPropriedade IntelectualLicenciamento ambientalNovo Ensino MédioReforma TributáriaRetomada do Crescimento

Relacionadas

Leia mais

Vagas de estágio: vem que tem no IEL
Edital do Inova Talentos - IPT Open Experience prevê R$ 114 milhões para projetos de pesquisa
SENAI inaugura Instituto de Inovação em Energias Renováveis

Comentários