Inovação, empreendedorismo e avanços tecnológicos na indústria

Pesquisas, mentorias e nova presidência. Confira como foi a semana da indústria e as ações dos estados para a população!

Capa do Brasil Indústria. Homem com equipamentos.

As consequências das enchentes no Rio Grande do Sul ainda vão afetar a indústria por muito tempo. Enquanto as federações ainda sentem o peso dessa tragédia ambiental, finalizam a semana dando importantes passos para o futuro do setor.

Vem conferir tudo no Brasil Indústria, coluna semanal da Agência de Notícias da Indústria que traz, toda sexta-feira, o que foi destaque nos estados.

Pesquisa da FIERGS mostra que 63% das indústrias consultadas afetadas pelas enchentes sofreram paralisação de atividades 

Uma consulta realizada pela Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (FIERGS) com 220 empresas do setor, entre 23 de maio e 10 de junho, revela que 81% foram afetadas pelas inundações do mês passado, sendo que destas, 63% sofreram paralisação total ou parcial das suas atividades.

A maioria (95%) das interrupções alcançou até 30 dias. “As enchentes foram catastróficas para o Rio Grande do Sul. Além do drama pessoal de quem perdeu familiares e viu suas casas serem invadidas pelas águas, a economia gaúcha também sofrerá um impacto imenso, cujo efeito deve começar a ser detectado nos próximos meses, e precisará de um tempo ainda incerto para se recuperar. Mas os primeiros sinais já aparecem, com a confiança e a expectativa dos industriais gaúchos desabando”, diz o presidente da FIERGS, Gilberto Porcello Petry, ao analisar o resultado da consulta divulgada nesta quarta-feira (12).

O levantamento teve como objetivo entender o perfil das indústrias mais afetadas, avaliar a extensão e os tipos de prejuízos sofridos por elas e captar as perspectivas. O trabalho foi coordenado pela Unidade de Estudos Econômicos (UEE) da FIERGS, que elaborou a consulta junto às indústrias. Contou com o apoio na divulgação por parte da Unidade de Desenvolvimento Sindical (Unisind), dos sindicatos filiados à entidade, do Conselho de Articulação Sindical e Empresarial (Conase), da Gerência Técnica e de Suporte aos Conselhos Temáticos (Getec) e do Serviço Social da Indústria (SESI-RS)

Apesar de impactadas, 64,2% das empresas consultadas pela FIERGS não pretendem mudar o local de suas sedes e permanecerão na mesma área de instalação. Já 20,1% ainda não decidiram o que farão com o seu negócio.

CNI participa da 4ª edição do Innova Summit  

O Innova Summit é uma das principais conferências gratuitas da América Latina, focada em inovação, tecnologia e negócios. Realizado até 14 de junho no Ulysses Centro de Convenções, em Brasília (DF), o evento proporciona um ambiente inspirador para líderes e entusiastas do setor, reunindo conhecimento, experiências, conexões e geração de negócios entre os participantes do evento. 

No dia 14 de junho, às 15h, destaca-se o painel "Mulheres na Indústria: inovação e experiência prática", com a participação de Suzana Peixoto, representante da Confederação Nacional da Indústria (CNI) e coordenadora do Programa de Apoio à Competitividade das Micros e Pequenas Indústrias (Procompi). Para saber mais, acesse as informações no site do evento

Programação do Innova Mulher, que começa às 15h.

SENAI e Bosch desenvolvem protótipo veicular de teste de propulsão elétrica

Instituto SENAI de Inovação em Eletroquímica (ISI Eletroquímica), localizado em Curitiba, em parceria com as empresas Bosch, Eaton, eION e JLW Eletromax desenvolveu um projeto de criação de um veículo elétrico protótipo.  

Feito por meio de uma aliança industrial, o projeto em questão é um buggy elétrico e tem como objetivo utilizar tecnologias da Bosch para construir um sistema de propulsão a ser implementado em uma plataforma veicular já existente e comparar o desempenho com veículos elétricos de série com especificações similares. 

Processo mecânico..

De acordo com Valério Marochi, pesquisador do ISI Eletroquímica e gestor do projeto, o projeto foi subdividido em 4 blocos de desenvolvimento, sendo eles: construção de um pack de bateria; modificação da transmissão original do veículo; programação da unidade de controle eletrônico e comunicação com o sistema de propulsão, integração dos sistemas anteriores ao veículo e teste em ambiente relevante (laboratório). 

“O pack original do veículo não atende ao novo sistema de propulsão sendo este mais potente que o original, ou seja, estamos substituindo tudo”, explica. Segundo ele, a máquina elétrica e o sistema de controle e potência são da Bosch. Já a transmissão foi aprimorada pela Eaton. Quanto à bateria, foi desenvolvida no ISI Eletroquímica, por meio da integração de células e BMS comerciais, com o apoio da JLW. 

SENAI CIMATEC recruta voluntários para pesquisa de dispositivo inovador de detecção de anemia sem necessidade de exame de sangue   

Cerca de 30% da população mundial sofre de anemia, segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS). Com o objetivo de inovar na forma como é realizado o exame de sangue em pessoas anêmicas, que precisam fazer o rastreio da doença de forma constante, o SENAI CIMATEC está desenvolvendo um novo dispositivo para executar esse tipo de procedimento através da leitura dos dedos das mãos. 

O “Estudo SANI”, que é voltado para a detecção de componentes hematológicos utilizados no diagnóstico de anemia, está em busca de voluntários de pesquisa.

“Trata-se de um dispositivo que ainda caracteriza-se como uma prova de conceito. Ele atua como se fosse um oxímetro e é uma forma inovadora de detectar componentes hematológicos sem precisar perfurar o participante de pesquisa. A ideia é que este dispositivo apoie no diagnóstico de anemia, mas que também possa ser utilizado futuramente em pacientes acamados, que estejam fazendo tratamentos específicos, e que precisam realizar coleta de sangue com frequência”, destaca Camila Valente, pesquisadora vinculada à Organização Representativa de Pesquisa Clínica do SENAI CIMATEC.   

Para participar como voluntário dos estudos clínicos, os interessados devem ter idade entre 18 e 75 anos; peso mínimo de 50kg; e ter resultado de exame de hemograma nos últimos 12 meses. As inscrições são feitas através de formulário online ou pelo WhatsApp: (71) 99936-0569, das 08h às 17h, até o dia 9 de agosto.

Paulo Baraona assume presidência da FINDES

Paulo Baraona ao lado da logo da FINDES
Foto: Renan Donato

O empresário Paulo Baraona assumiu nesta quinta-feira (6) a presidência da Federação das Indústrias do Espírito Santo (FINDES). O atual 1º vice-presidente na gestão de 2020-2024 e presidente eleito para a gestão de 2024-2028, será o presidente em exercício da FINDES até a data de sua posse, no dia 30 de julho. 

“Para o futuro, a partir de julho, continuaremos trabalhando fortemente com pautas como inovação, educação, capacitação profissional e assuntos ligados à defesa de interesses do setor industrial, mas sem deixar de lado todas as outras áreas em que atuamos. Esse trabalho será em prol dos acionistas da Federação, que são os nossos sindicatos. Também vamos contar com o apoio dos nossos colaboradores que já realizam um brilhante trabalho na Findes. Juntos vamos dar, cada vez mais, protagonismo à indústria”, disse Baraona. 

A industrial Cris Samorini, à frente da Federação desde 2020, solicitou o licenciamento do cargo e deixou a presidência nesta quinta-feira (6). Cris explicou que sua saída é fruto de alguns projetos pessoais.

Faturamento da indústria mineira tem maior expansão em 21 anos 

A recente divulgação da Pesquisa Indicadores Industriais de Minas Gerais, realizada pela Federação das Indústrias de Minas Gerais (FIEMG), revelou resultados notáveis para o mês de abril de 2024. O destaque vai para a expansão de 7,8% no faturamento industrial, a maior registrada para abril desde o início da série histórica em 2003. 

Outro ponto positivo foi o aumento na massa salarial, que influenciou positivamente o rendimento médio real dos trabalhadores. Este crescimento na remuneração é reflexo de um mercado de trabalho mais aquecido, especialmente no segmento extrativo mineral, que apresentou um pequeno avanço de 0,2% no nível de emprego. 

Nos últimos meses, diversos fatores contribuíram para um cenário positivo no setor industrial mineiro. A elevação da renda das famílias, proporcionada pela desaceleração da inflação e pelo aumento real do salário mínimo, somada ao pagamento de precatórios pelo Governo e à redução do endividamento das famílias, impulsionaram o consumo de bens. Além disso, a expansão do crédito e a redução das taxas de juros beneficiaram especialmente as atividades mais dependentes de financiamento. 

Para os próximos meses, a expectativa é de um crescimento moderado da indústria no estado. A resiliência do mercado de trabalho e o aumento da renda das famílias deverão continuar a contribuir para a elevação do consumo de bens e serviços. Contudo, há desafios no horizonte. A elevada soma de pagamento de precatórios observada no início do ano provavelmente não se repetirá, e as enchentes ocorridas no Rio Grande do Sul podem repercutir negativamente na atividade industrial mineira.

Para ampliar participação feminina na liderança, FIESP oferece mentoria gratuita 

Mulher industrialista em uma construção.
Presença das mulheres em cargos de gestão aumentou de 35,7% para 39,1%, entre 2013 a 2023. Foto: Shutterstock

O “Elas na Indústria”, desenvolvido pelo Conselho Superior Feminino da FIESP (Confem), está com inscrições abertas até 30 de junho. 

O programa une mulheres – mentoras e mentoradas – em seis sessões de mentoria online, possibilitando a participação de mulheres de todo o país. Ao final das sessões, a mentorada terá um certificado de conclusão do programa, e uma experiência que com certeza a ajudará nos próximos desafios da carreira. 

Em sua primeira edição em 2022, o programa contou com a participação de 45 mulheres. Na segunda turma, o número de formadas mais que dobrou, passando para 109. Já a terceira edição, atingiu o marco de 171 mulheres formadas. Na quarta turma, programada para encerrar em agosto, 400 mulheres estão recebendo mentorias, apresentando mais um aumento significativo e se tornando o maior número registrado. 

Para candidatar-se à 5ª turma do programa, é necessário atender aos seguintes critérios: ser mulher colaboradora de empresas industriais em cargos de liderança ou posições precursoras da liderança, ou ser mulher empreendedora à frente de negócios no setor industrial. 

Para saber mais, acesse o edital. Inscrições no site da FIESP

Como participar do Brasil Indústria? 

O levantamento semanal de notícias da indústria é feito pela Agência de Notícias da Indústria, com informações dos estados! Para participar, envie sua sugestão de pauta para nosso e-mail: [email protected].

Capa do Brasil Indústria. Homem com equipamentos.

Relacionadas

Leia mais

Indústria mostra confiança moderada no primeiro semestre de 2024, aponta CNI
Inteligência artificial: como integrar o ChatGPT no ambiente de trabalho?
Haja blusinha! O impacto em números da isenção nas compras até US$ 50 (Ep.#120)

Comentários