10 ferramentas que ajudam as empresas a inovar

No Brasil, uma série de instrumentos oferecem recursos técnicos e financeiros que ajudam os empresários a tirar projetos inovadores do papel. Confira

A inovação é decisiva para as empresas brasileiras se conectarem ao rápido avanço tecnológico e às mudanças no comportamento dos consumidores, nos processos de produção, na economia e até na política. No Brasil, uma série de instrumentos oferecem recursos técnicos e financeiros que ajudam os empresários a tirar projetos inovadores do papel. São linhas de crédito com juros e prazos especiais, programas de subvenção e de capacitação, que oferecem recursos não-reembolsáveis para empresas de todos portes, desde as startups até os grandes conglomerados.

No Dia Nacional da Inovação, separamos 10 ferramentas que ajudam as empresas a desenvolver inovações:

1. Embrapii

A Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii) oferece recursos não-reembolsáveis que podem ser obtidos sem grandes burocracias. O empresário pode, a qualquer momento, submeter o projeto de inovação a uma das unidades credenciadas da Embrapii espalhadas pelo país, que deve ter competência tecnológica afinada com o plano da empresa. Os projetos passam por avaliação técnica e são contratados por ordem de chegada. A Embrapii financia um terço do projeto, a unidade credenciada entra com outro um terço e a empresa com mais um terço. Além de receber recursos não reembolsáveis, a empresa tem acesso a instituições de pesquisa e tecnologia e excelente estrutura de laboratórios.

2. Finep Startup 

O programa Finep Startup oferece apoio financeiro de até R$ 1 milhão para empresas nascentes de base tecnológica. As empresas interessadas devem ficar atentas ao Edital de Seleção Pública. As propostas apresentadas são avaliadas em três etapas: Avaliação de Plano de Negócios, Banca Avaliadora Presencial e Visita Técnica & Avaliação de Documentação Jurídica. Para receber os recursos, a empresa selecionada precisa celebrar com a Finep um Contrato de Opção de Subscrição de Participação no Capital Social ou outro instrumento conversível em participação no capital.

3. Edital de Inovação para indústria 

O instrumento do Serviço Social da Indústria (SESI) e do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) tem recursos não-reembolsáveis para todos os portes de empresas. Os empresários podem inscrever os projetos a qualquer momento no site do Edital de Inovação, observando a categoria compatível com o porte da empresa e os objetivos do projeto. Ao longo do ano, são feitas três avaliações e seleções dos projetos inscritos. Os selecionados são desenvolvidos na rede de Institutos SENAI de Tecnologia e Inovação. Além disso, grandes empresas interessadas em soluções inovadoras para necessidades específicas podem lançar chamadas especiais para financiar projetos temáticos.

Saiba mais no vídeo a seguir: 

4. PITE

Programa exclusivo da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), que financia projetos de pesquisa em instituições de ensino superior, públicas ou privadas, e suas parceiras no Brasil e no exterior. Os projetos são classificados em três modalidades: o PITE 1 é voltado ao desenvolvimento de inovações praticamente completas. Neste caso, o financiamento é de 20% dos custos do projeto. O PITE 2 financia 50% dos custos das inovações com baixo risco tecnológico e de comercialização e o PITE 3 financia até 70% dos projetos de alto risco.  As empresas parceiras das instituições de ensino devem contribuir com uma contrapartida que varia de 30% a 80%, conforme a modalidade do projeto.  As propostas podem ser submetidas à Fapesp em qualquer tempo ou em respostas a chamadas específicas.

5. Lei do Bem 

A Lei 11.196/05 estabelece incentivos fiscais automáticos para as empresas que desenvolvem atividades de pesquisa e desenvolvimento (P&D). Entre os incentivos previstos estão a depreciação acelerada de máquinas e equipamentos adquiridos para atividades de P&D, amortização acelerada para investimentos em bens intangíveis, redução de impostos em remessas para o exterior destinadas ao registro de marcas, patentes e cultivares. A empresa deve apresentar ao MCTIC os investimentos em P&D até 31 de julho do ano subsequente de cada exercício fiscal.

6. Inova Talentos

O programa do Instituto Euvaldo Lodi (IEL) em parceria com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), do Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) oferece bolsas para profissionais de nível superior, mestres e doutores desenvolverem projetos de inovação nas empresa. Os projetos, que podem ser cadastrados no site do Inova Talentos a qualquer tempo, são avaliados pelo CNPq. Os selecionados, recebem os bolsistas, que têm conhecimentos técnicos e habilidades pessoais sintonizados com o projeto a ser desenvolvido. As bolsas são custeadas pela empresa.

Conheça o Inova Talentos:

7. Finep Conecta

O Finep Conecta financia, com taxas de juros menores e prazos maiores, projetos em que empresas se unem a instituições de Ciência, Tecnologia e Inovação (ICTs) para o desenvolvimento de tecnologias. O programa apoia investimentos de até R$ 500 milhões. As propostas podem ser submetidas pelo sistema Finep Inovação.

8. BNDES Inovação

Esta ferramenta do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) apoia inovações disruptivas ou incrementais de produtos, processos e marketing. O valor mínimo dos financiamentos é de R$ 10 milhões. Os empréstimos são corrigidos pela Taxa de Longo Prazo (TLP) mais 1,7% ao ano, mais taxa de risco de crédito. Os pedidos devem ser encaminhados ao banco por meio de consulta prévia eletrônica.  

9. Imersões em ecossistemas de inovação

Coordenado pelo IEL, esse programa organiza visitas a laboratórios de ponta, centros de inovação e indústrias inovadoras. Também promove encontros com consultores e especialistas em tecnologia e inovação. As imersões são divulgadas periodicamente no site do instituto e as empresas interessadas pagam taxa de inscrição para as viagens internacionais. As imersões no Brasil não têm taxa de inscrição. Cada participante arca com as despesas de viagem. As vagas são preenchidas por ordem de inscrição.

Confira um pouco do que foi a 8ª edição do programa no vídeo a seguir:

10. Centro de Pesquisas em Engenharia

Financia, com recursos não-reembolsáveis, projetos de pesquisa de grande ousadia de instituições de ensino superior e de ciência e tecnologia do Estado de São Paulo. O objetivo é desenvolver inovações tecnológicas de classe mundial, que aumentem a competitividade das empresas parceiras e para a formação de recursos humanos altamente qualificados.

MAIS - Quer conhecer outras possibilidades? Consulte a publicação MEI Tools. Organizada pela Mobilização Empresarial pela Inovação (MEI) e pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), a publicação apresenta 87 instrumentos que promovem a inovação das empresas.

Relacionadas

Leia mais

Centro de Inovação SESI recebe prêmio da Associação Brasileira de Recursos Humanos
Prioridade é garantir recursos com regularidade para inovação
Ei, NASA, olha estes projetos brasileiros!

Comentários