Luta contra a Covid-19: federações das indústrias arrecadam doações e investem em tecnologias

Com a reabertura de atividades, as federações contribuíram com a distribuição de diversos donativos. Nesta semana, bolhas de proteção e plataformas on-line foram desenvolvidas para o combate da pandemia
No Rio de Janeiro, a fabricação das máscaras foi feita pela empresa Naturgy

Entre os dias 17 e 23 de julho, foram criados novos equipamentos para o tratamento da Covid-19 e desenvolvida uma plataforma digital gratuita para a segurança dos trabalhadores da indústria. As entidades - presentes em todos os estados do Brasil - também produziram e doaram equipamentos de proteção individual (EPI) e apoiaram instituições filantrópicas. 

A Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (FIRJAN), em parceria com a Naturgy, realizou a doação de 109 mil itens de proteção individual para os profissionais da saúde do estado. O material foi entregue para a superintendência do Ministério da Saúde e será distribuído em quatro hospitais federais da capital fluminense.

Dentre os equipamentos de proteção doados estão mais de 70 mil luvas de procedimento, 30 mil toucas de TNT, 5 mil máscaras triplas, mais de 3 mil máscaras N95, mil aventais, 150 óculos de segurança e 150 face shields.

A doação foi promovida pelos funcionários da Naturgy, que, de forma voluntária, doaram uma parte do salário para a compra dos donativos. Em seguida, a empresa contribuiu com a mesma quantia, o que dobrou o valor arrecadado. A FIRJAN tem feito um trabalho de reunir e facilitar a ações solidárias das empresas do estado através do Programa Resiliência Produtiva.

Além disso, em quatro meses, o Programa bateu a marca de 197 mil itens doados por 16 empresas para rede pública de saúde. Por meio do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI), foram produzidos mais de um milhão de produtos. Saiba mais no site da federação.

No Centro-Oeste, as federações realizam doações e desenvolvem tecnologias

Alimentos arrecadados pela FIEG + Solidária

Em Goiás, a Federação das Indústrias do Estado de Goiás (FIEG), por meio do programa FIEG+Solidária, ultrapassou a marca de 102 instituições filantrópicas atendidas com doações, que totalizam o valor de, aproximadamente, R$ 1 milhão arrecadado. Os donativos, que se aproximam da meta inicial de 100 toneladas, incluem produtos de primeira necessidade, como cestas básicas, itens de higiene pessoal, produtos de limpeza e máscaras de proteção. 

Já a Federação das Indústrias no Estado de Mato Grosso (FIEMT) desenvolveu um pacote de ações para apoiar a luta contra a Covid-19.  A primeira fase conta com uma plataforma gratuita e 100% on-line, chamada de CoronaDados – Monitorar para salvar vidas. O empresário pode cadastrar os trabalhadores e acompanhar, de forma efetiva, a saúde de sua equipe.

A plataforma é uma ações do projeto Trabalho Seguro, que foi desenvolvido pelo Serviço Social da Indústria (SESI) de Mato Grosso. Assim, o programa utiliza tecnologias e sistemas adequados para a proteção dos funcionários e do ambiente, além da realização de testes e monitoramento da saúde. Ao todo são três níveis de ofertas para atendimentos aos protocolos de segurança.

Em continuidade às ações da campanha “Se Puder Fique em Casa, Se For Sair Use Máscara”, a Federação das Indústrias do Estado de Mato Grosso do Sul (FIEMS), por meio do SESI e SENAI, iniciou um mutirão para distribuir 50 mil máscaras de tecido no centro e nos bairros de Campo Grande. O trabalho segue até esta sexta-feira (24/07), sempre das 9 às 17 horas, e um carro de som está circulando no entorno dos pontos de distribuição para informar a população sobre onde retirar a máscara.

O Nordeste inova com tecnologia para o combate do novo coronavírus

Na Bahia, o SENAI Cimatec desenvolveu um equipamento para reduzir os casos de intubação entre os pacientes contaminados, além de diminuir os riscos de contaminações entre os profissionais da saúde. O acessório foi batizado de “Bolha de Contenção” e possui uma estrutura simples, de material acrílico transparente e de diferentes tamanhos para se adequar a qualquer idade.

Equipamento em produção no SENAI CIMATEC Park, unidade que fica em Camaçari

A Federação das Indústrias do Estado da Bahia (FIEB) prevê a distribuição de 800 bolhas para os hospitais públicos de referência no tratamento da COVID-19, sendo que metade já foi distribuída. O projeto foi desenvolvido pelo SENAI em parceria com o Governo da Bahia e, também, contou com apoio da Unigel e da Klabin, que fizeram a doação de matéria prima para fabricação e entrega. O equipamento passou pela avaliação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) e foi aprovado pelo Comitê de Ética e Pesquisa. 

Em Santa Catarina, o SENAI atua na restauração de respiradores

A iniciativa Mais Manutenção de Respiradores - ação de enfrentamento do novo coronavírus desenvolvida em âmbito nacional pelos Institutos SENAI de Inovação - teve, em Santa Catarina, o conserto de 61 aparelhos, utilizados em Unidades de Tratamento Intensivo (UTIs). A estimativa é que eles salvem de 600 a 1,2 mil vidas. Além disso, representam economia de R$ 1,4 milhão, valor que seria necessário para a aquisição de novos equipamentos. 

Segundo o presidente da Federação das Indústrias de Santa Catarina (FIESC), Mario Cezar, a iniciativa mostra a importância da união de forças, que foi fundamental para a recuperação dos os respiradores. A atividade está sendo interrompida, dada a inexistência de novas demandas, mas poderá ser retomada caso surja necessidade.

A Indústria contra o coronavírus: vamos juntos superar essa crise

Acompanhe todas as notícias sobre as ações da indústria no combate ao coronavírus na página especial da Agência CNI de Notícias.

Relacionadas

Leia mais

Bioeconomia auxilia Brasil na recuperação econômica no pós-pandemia
Paciente usa capacete produzido por SENAI do Ceará durante tratamento e recebe alta
SENAI presta homenagem a rede voluntária que já consertou mais de 1.800 respiradores hospitalares

Comentários