FIERN cria painel para monitorar avanços de covid-19 no estado

É possível acompanhar, em tempo real, o número de casos em trabalhadores da indústria, testes realizados e poder planejar ações e adotar protocolos de segurança
O SESI está realizando testes de covid-19 no Rio Grande do Norte

O MAIS RN ampliou o acompanhamento da evolução dos casos de covid-19 no Rio Grande do Norte com o início do monitoramento da situação na indústria potiguar. Para isso, foi criado um painel de observação específico para o setor, a partir do banco de dados do Serviço Social da Indústria (SESI) do Rio Grande do Norte, que vem realizando testes de covid-19 nas empresas industriais do estado. Com o novo painel visual (dashboard) é possível acompanhar, em tempo real, o número de casos em trabalhadores da indústria, testes realizados e poder planejar ações e adotar protocolos de segurança.

As informações podem ser acompanhadas pela página do MAIS RN. A iniciativa faz parte do contexto de ações de enfrentamento ao novo coronavírus adotadas pela Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Norte (FIERN).

“Esse novo painel dá informações importantes sobre o número de indústrias, testes realizados, de pessoas infectadas, inclusive com faixa etária e dados sobre outras doenças identificadas nos questionários, durante a triagem feita pelo SESI. Além de termos um panorama dos casos na indústria, o monitoramento é importante também para a tomada de decisões, para manter a indústria funcionando em segurança, com a adoção de novos protocolos e medidas recomendadas pelas autoridades de saúde”, explica Pedro Albuquerque, assessor técnico de Economia e Pesquisa da FIERN.

Desde o final de abril, o SESI/RN vem realizando, dentro do programa +Diagnósticos, testes rápidos para garantir a saúde e segurança dos trabalhadores da indústria. O serviço é oferecido em todo o Rio Grande do Norte, a partir da demanda das empresas, e acontece em três etapas: triagem, teste e laudo médico.

Na primeira, o SESI vai até a empresa e realiza anamnese com todos os funcionários. Os testes rápidos são feitos nos trabalhadores que apresentem pelos menos dois dos seguintes sintomas: dor de garganta, tosse, febre, dificuldade para respirar. Àqueles com resultado positivo na testagem são afastados do trabalho e encaminhados para o médico do trabalho emitir laudo através da telemedicina.

Até agora, foram realizados 878 triagens em 28 empresas, desse total 139 trabalhadores foram liberados, 739 fizeram o teste e, destes, 724 apresentaram o resultado duplo negativo (quando o paciente não foi exposto e nem apresenta o vírus).

Os resultados positivos, explica o assessor técnico, são identificados a partir da presença de hemoglobinas no sangue (IgM e IgG) que indicam o nível de defesa. No caso de IgM positivo, o paciente está com o vírus e o IgG aponta uma defesa de memória, ou seja teve o vírus, mas já está curado.

As testagens foram feitas em Mossoró (375), Natal (256) e Parnamirim (56). Na indústria, os casos se concentram na faixa etária entre 25 e 44 anos de idade. Muitos trabalhadores apresentaram hipertensão, fator de comorbidade.

A Indústria contra o coronavírus: vamos juntos superar essa crise

Acompanhe todas as notícias sobre as ações da indústria no combate ao coronavírus na página especial da Agência CNI de Notícias.

Relacionadas

Leia mais

VÍDEO: Especial Dia da Indústria
Indústria x coronavírus: como a produção brasileira se transformou para combater a pandemia
Indústrias de confecção fornecem 5 milhões de máscaras a presídios de todo o Brasil

Comentários