Entenda o que é o coronavírus e como se proteger

O coronavírus causa a Covid-19, doença semelhante a uma gripe, mas que pode levar a graves infecções respiratórias. É importante que toda a população se informe e tome as medidas para evitar a propagação do novo vírus
Qualquer pessoa está exposta à infecção e, após contrair a doença, os sintomas demoram cerca de 2 a 12 dias para aparecer

No dia 11 de março, a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou que o mundo vive uma pandemia do novo Coronavírus (SARS-CoV-2). Isto levou a várias mudanças nos hábitos de vida de toda a população.

Em todo o mundo foram decretadas medidas preventivas para diminuir a disseminação do vírus, pois já foram registradas milhares de mortes causadas pelo vírus. Em alguns países, as pessoas só devem sair de casa para comprar comida e remédios, aulas foram suspensas, empresas dispensaram e/ou adiantaram as férias dos trabalhadores, espaços públicos e eventos estão sendo cancelados, entre outras medidas.

No Brasil, o vírus chegou há poucas semanas. O primeiro paciente foi um homem que tinha voltado de viagem da Europa que, após alguns dias, foi declarado curado. Mas já há registro de morte causada pela covid-19 e outras estão sendo investigadas.  

O médico do trabalho do Serviço Social da Indústria (SESI) Cláudio Patrús explica que, com a atualização constante das informações, é importante que a população fique atenta às notícias sobre o vírus e a doença. "A gente tem dados novos em relação à pandemia a cada dia", afirma Patrús. 

Sobre o coronavírus

Coronavírus é o nome de uma família de vírus, que tem uma estrutura em formato de coroa e é conhecida desde 1960. A nova versão, que começou a circular na China ainda em 2019, ganhou o nome temporário de 2019 n-Cov e depois o oficial SARS-CoV-2 (severe acute respiratory coronavirus 2).

O novo vírus causa a doença nomeada Covid-19. Os primeiros sintomas incluem coriza, tosse, dores de garganta, dores de cabeça e talvez febre. Por isso, a doença, inicialmente, se assemelha a um resfriado. 

As pessoas que integram o grupo de risco, de acordo com protocolos da Organização Mundial da Saúde (OMS) e do Ministério da Saúde, são as seguintes: maiores de 60 anos, portadores de hipertensão, diabetes, doenças respiratórias (asma ou bronquite, por exemplo), neoplasias e gestantes.

“O ideal é evitar viagens, reuniões e grandes eventos. Hoje existem várias formas para fazer isso. Reuniões podem ser realizadas por telefone, por vídeo conferências, por assistentes virtuais, entre outros”, recomenda Patrús. 

Como o vírus se espalha

De acordo com o Ministério da Saúde, a disseminação do coronavírus acontece de pessoa para pessoa. A transmissão pode ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções como espirro, tosse, gotículas de saliva, catarro, toque ou aperto de mão e contato com objetos contaminados.

Qualquer pessoa está exposta à doença e, após a contaminação, os sintomas podem demorar cerca de 2 a 12 dias para aparecer. 

Como prevenir o contágio

A população foi orientada a seguir cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir o Coronavírus e outras infecções respiratórias. Entre as medidas preventivas estão:

  • Lavar as mãos com água e sabão por, pelo menos, 20 segundos;
  • Utilizar desinfetante à base de álcool (álcool em gel);
  • Evitar tocar no olhos, nariz e boca quando as mãos não estiverem higienizadas;
  • Evitar contato com pessoas doentes;
  • Ficar em casa quando estiver doente;
  • Cobrir a boca e nariz ao tossir ou espirrar; 
  • Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência
  • Não compartilhar objetos de uso pessoal 
  • Evitar viagens sem necessidade 

Profissionais da saúde devem utilizar medidas de precaução padrão, com uso de máscara cirúrgica, luvas, avental não estéril e óculos de proteção.

Quando ir ao hospital 

Não são todos os hospitais que podem receber pacientes com o novo coronavírus, por isso é importante diferenciar cada caso.

Os mais graves devem ser encaminhados a um hospital de referência estadual. Já os casos considerados leves podem não necessitar de hospitalização, precisando apenas de acompanhamento e cuidados em casa. 

Para avaliar cada caso, é possível acessar uma lista de hospitais e de unidades básicas de saúde que prestam atendimento em cada município, no site do Ministério da Saúde. 

A Indústria contra o coronavírus: vamos juntos superar essa crise

Acompanhe todas as notícias sobre as ações da indústria no combate ao coronavírus na página especial da Agência CNI de Notícias.

Relacionadas

Leia mais

As reportagens mais lidas da semana na Agência CNI de Notícias
Mundial de robótica é cancelado por causa de pandemia de coronavírus
Crise mundial em função do Coronavírus reforça a necessidade de reformas no país, afirma CNI

Comentários