75% dos brasileiros dizem que governo Bolsonaro está no caminho certo, informa pesquisa da CNI

Levantamento feito com 2 mil pessoas mostra que melhorar os serviços de saúde, estimular a criação de empregos e combater a corrupção, a violência e a criminalidade devem ser as prioridades do novo governo
Bolsonaro durante cerimônia de diplomação como presidente eleito no TSE, na última segunda-feira (10)

A população está otimista com o governo Jair Bolsonaro. Para 75% dos brasileiros, o presidente eleito e sua equipe estão no caminho certo. Além disso, dois em cada três brasileiros (64%) acreditam que o novo governo será ótimo ou bom. Apenas 14% dizem que será ruim ou péssimo. O otimismo é maior entre os homens e os que têm maior renda familiar. O próximo governo será ótimo ou bom para 69% dos homens e para 72% dos que recebem cinco salários mínimos ou mais. O percentual cai para 61% entre as mulheres e para 58% entre aqueles com renda familiar de até um salário mínimo, informa a pesquisa Retratos da Sociedade Brasileira – Perspectiva em Relação ao Novo Governo, divulgada nesta quinta-feira (13) pela Confederação Nacional da Indústria (CNI)

O levantamento, feito com 2 mil pessoas em 127 municípios, entre 29 de novembro e 2 de dezembro, mostra ainda que a população aprova as indicações feitas pelo presidente eleito Jair Bolsonaro para compor o governo e as propostas apresentadas pela nova equipe.  Entre os brasileiros que se consideram um pouco informados, 55% consideram as indicações para a equipe adequadas ou muito adequadas. O percentual aumenta na medida em que cresce o grau de informação do entrevistado. Entre os que se dizem muito informados sobre as indicações, 77% consideram que as pessoas indicadas para compor o primeiro escalão do governo são adequadas ou muito adequadas. 

Entre os que se dizem ao menos um pouco informados sobre as propostas, 75% aprovam os planos apresentados pela equipe de Jair Bolsonaro. O número aumenta para 83% entre os que se consideram informados ou muito informados. A proposta do novo governo mais lembrada é a reforma da Previdência, que foi mencionada por 12% dos entrevistados. Em seguida, com citações de 9% cada, aparecem a liberação da posse ou do porte de armas e o combate à corrupção.  
 

PERSPECTIVAS OTIMISTAS PARA 2019 – As boas perspectivas da população em relação ao novo governo ajudaram a melhorar o otimismo em relação ao futuro: 69% dos entrevistados afirmam que a própria vida vai melhorar ou vai melhorar muito em 2019. Além disso, 66% acreditam que a situação econômica do Brasil vai melhorar ou melhorar muito no ano que vem. 

Para os brasileiros, melhorar os serviços de saúde, estimular a criação de empregos, atacar a corrupção, combater a violência e a criminalidade devem ser as prioridades do novo governo.  Em primeiro lugar, com 41% das respostas, aparece melhorar os serviços de saúde, em segundo, com 40% de menções, os entrevistados sugerem a geração de empregos e, em terceiro lugar, empatados com 36% das citações estão o combate à corrupção e o combate à violência e à criminalidade. Em seguida, com 33% das respostas, os brasileiros citam a melhoria da qualidade da educação.  A soma dos percentuais de resposta é diferente de 100% porque o entrevistado podia escolher até três prioridades.

De acordo com a pesquisa, a população acredita que o novo governo deve melhorar a questão da segurança pública, da corrupção e do desemprego. Em primeiro lugar na lista dos problemas que devem melhorar já no primeiro ano do governo aparece a segurança pública, com 43% das menções. Em seguida, com os brasileiros citam a corrupção (37% das respostas) e o desemprego, com 36% das assinalações. 

TEMER ENCERRA MANDATO COM BAIXA POPULARIDADE – A CNI também divulgou nesta quinta-feira (13) a pesquisa CNI-Ibope. O levantamento trimestral mostra que, mesmo com a leve melhora registrada neste mês, o presidente Michel Temer encerra seu governo com baixa popularidade.  “O percentual dos que avaliam seu governo como ótimo ou bom tem se mantido praticamente inalterado desde julho de 2017”, diz a pesquisa. O número de pessoas que considera o governo ruim ou péssimo caiu de 82% em setembro para 74% agora. Os que avaliam o governo como ótimo ou bom subiu de 2% para 5%.  

O número de brasileiros que aprovam a maneira de governar de Temer subiu de 6% em setembro para 9% em dezembro e o dos que desaprovam caiu de 92% para 85%. O percentual dos que confiam no presidente Michel Temer permanece no patamar de 90%, desde setembro de 2017. 

A avaliação do governo Temer é pior entre as pessoas com renda familiar mais elevada. Entre os que ganham mais de cinco salários mínimos, apenas 1% avalia o governo como ótimo ou bom, 4% confiam no presidente e 7% aprovam sua maneira de governar. A avaliação também é pior nos municípios de maior porte. Entre os entrevistados que vivem em municípios com mais de 100 mil habitantes, 76% avaliam o governo como ruim ou péssimo. O percentual cai para 72% entre os que moram em cidades que têm entre 50 mil e 100 mil habitantes. 

Esta edição da pesquisa CNI-Ibope ouviu 2 mil pessoas em 127 municípios entre os dias 29 de novembro e 2 de dezembro. A margem de erro é de 2 pontos percentuais para mais ou para menos e o nível de confiança é de 95%. 

SAIBA MAIS - Acesse a pesquisa Retratos da Sociedade Brasileira – Perspectiva em Relação ao Novo Governo no Portal da Indústria. Para mais detalhes sobre a avaliação de governo do presidente Temer, acesse a página da pesquisa CNI-Ibope.

FOTOS - Confira as fotos da coletiva de imprensa sobre a pesquisa no Flickr da CNI.

Relacionadas

Leia mais

CNI-Ibope: 28% dos eleitores mudariam voto para evitar vitória de candidato que não agrada
Popularidade do governo Temer mantém-se baixa, aponta CNI-Ibope
Vamos facilitar a vida de quem quer investir,  empreender e produzir, afirma Bolsonaro

Comentários