Vencedores do Prêmio Indústria Nacional Marcantonio Vilaça para as Artes Plásticas serão anunciados nesta quinta-feira (12)

Dentre os 30 artistas finalistas, cinco serão premiados com uma bolsa de trabalho no valor de R$ 50 mil. As obras de todos os finalistas poderão ser vistas a partir da sexta-feira (13), em exposição gratuita em São Paulo
Obras premiadas em exposição na sexta edição do Prêmio, em São Paulo

Os vencedores da sétima edição do Prêmio Indústria Nacional Marcatonio Vilaça para as Artes Plásticas serão anunciados nesta quinta-feira (12), em São Paulo. A cerimônia de premiação será mo Museu de Arte Brasileira da Fundação Armando Alvares Penteado (MAB – FAAP), em São Paulo.

Dos 30 artistas finalistas, cinco vão ser premiados com uma bolsa trabalho no valor de R$ 50 mil. O evento é fechado apenas para convidados. Mas, a partir da sexta-feira (13), o público poderá conhecer as obras de todos os finalistas que ficam em exposição gratuita no MAB – FAAP, até o dia 20 de outubro. 

Neste ano, o prêmio recebeu 687 inscrições de 24 estados e do Distrito Federal. O júri – composto pelos curadores Ana Avelar, Bernardo Mosqueira, Clarissa Diniz, Gabriela Motta, Josué Mattos e Marcus Lontra, e pela artista Rochelle Costi – selecionou 30 finalistas de gerações e trajetórias diversas, contemplando tanto artistas consagrados quanto emergentes.

“O prêmio busca identificar, premiar e promover trajetórias artísticas, independente da faixa etária. Contemplamos tanto jovens, que possuem trajetória expressiva nas suas regiões e precisam desse prêmio para desenvolver suas carreiras, quanto artistas mais experientes e conhecidos, que merecem o reconhecimento nacional proporcionado pela premiação”, comenta o curador Marcus Lontra.

Além da exposição inédita dos finalistas do prêmio, serão exibidas obras de mais 11 artistas do Projeto Arte e Indústria, que nesta edição presta homenagem a Anna Bella Geiger. O projeto homenageia artistas cujos processos de criação estão relacionados à produção industrial. O visitante poderá ver obras da homenageada e dos artistas; Adriana Varejão, Brígida Baltar, Carlos Mélo, Cristina Canale, Frida Baranek, Karin Lambrecht, Leda Catunda, Nelly Gutmacher, Paola Junqueira, Rosângela Rennó e Walmor Correa.

Alan Adi (Sergipe);

Aline Motta (Rio de Janeiro);

Ana Hupe (Rio de Janeiro);

Ana Mazzei (São Paulo);

Ana Teixeira (São Paulo);

Anna Costa e Silva (Rio de Janeiro);

Clara Ianni (São Paulo);

Dalton Paula (Goiás);

Dora Longo Bahia (São Paulo);

Eduardo Frota (São Paulo);

Fabrício Lopez (São Paulo);

Guto Lacaz (São Paulo);

Haesbaert (Rio Grande do Sul);

Isabela Prado (Minas Gerais);

Ismael Monticelli (Rio Grande do Sul);

João Modé (Rio de Janeiro);

Juliana Notari (Pernambuco);

Letícia Ramos (Rio Grande do Sul);

Lívia Flores (Rio de Janeiro);

Mônica Nador (São Paulo);

Nydia Negromonte (Minas Gerais);

Osvaldo Carvalho (Rio de Janeiro);

Pedro França (São Paulo);

Pedro Marighella (Bahia);

Rafael Bqueer (Pará);

Raquel Nava (Distrito Federal);

Rodrigo Bueno (Ceará);

Ueliton Santana (Acre);

Vitor Cesar (Ceará);

Vivian Caccuri (São Paulo). 

O PRÊMIO - A premiação é uma iniciativa da Confederação Nacional da Indústria (CNI), do Serviço Social da Indústria (SESI) e do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI). Neste ano, teve o nome mudado (era chamado Prêmio Marcantonio Vilaça Para as Artes Plásticas) para dar destaque à indústria nacional, que viabiliza a realização do projeto. 

PROGRAMA EDUCATIVO - Inspirado no prêmio, o SESI também desenvolve o ACESSE (Arte Contemporânea e Educação em Sinergia no SESI). O programa educativo, baseado na metodologia STEAM (com foco nas áreas de Ciência, Tecnologia, Engenharia, Artes e Matemática), estimula a melhoria da qualidade do ensino médio.

A ideia é propor a criação de projetos ao longo dos três anos do ensino médio, envolvendo questões relacionadas ao trabalho, desenvolvimento humano, sustentabilidade e artes. As exposições do prêmio e um material didático exclusivo para professores fazem parte desta proposta. 

Prêmio Indústria Nacional Marcantonio Vilaça para as Artes Plásticas
Local: Museu de Arte Brasileira - Fundação Armando Alvares Penteado (MAB-FAAP) 
Premiação: 12 de setembro (evento fechado para convidados)
Exposição: 13 de setembro a 20 de outubro de 2019 
Visitação: Segundas, quartas, quintas e sextas-feiras, das 10h às 19h (última entrada às 18h);
Sábados, domingos e feriados, das 10h às 18h (última entrada às 17h).
(Fechado às terças-feiras, inclusive quando feriado) 
Endereço: Rua Alagoas, 903 – Higienópolis – São Paulo (SP)
ENTRADA FRANCA

Relacionadas

Leia mais

Conheça os finalistas do Prêmio Indústria Nacional Marcantonio Vilaça para as Artes Plásticas
Inscrições abertas para o Prêmio Indústria Nacional Marcantonio Vilaça para as Artes Plásticas
Santa Catarina recebe exposições do Prêmio Marcantonio Vilaça para as Artes Plásticas

Comentários