Projetos de alunos do SESI de Alagoas são classificados para a final da Febic 2020

Estudantes da escola SESI Cambona concorrem na Feira Brasileira de Iniciação Científica com três projetos. Internautas podem votar até o dia 30 de outubro
Aluna apresenta piso tátil feito a partir do reaproveitamento de pneus

Alunos do Serviço Social da Indústria (SESI) de Alagoas estão entre os finalistas da Feira Brasileira de Iniciação Científica (Febic 2020), que nesta edição ocorre de forma virtual. Três projetos da escola SESI Cambona foram selecionados entre 550 ideias de todo o país, sendo a única unidade de ensino da capital alagoana a participar da feira. Os trabalhos estão sendo submetidos a votação popular, que segue até o dia 30 de outubro.

Promovida pelo Instituto Brasileiro de Iniciação Científica (IBIC), sediado em Jaraguá do Sul (SC), em parceria com organizações públicas e privadas, a Febic está em sua 5ª edição. O objetivo geral é incentivar o interesse pela pesquisa científica, além de promover a criatividade, o espírito inovador, o uso de novas tecnologias, o comportamento sustentável, o empreendedorismo e o conhecimento, por meio da iniciação científica.

A professora de Geografia da escola SESI Cambona, Andrea Silva Souza, que orienta os três projetos finalistas, explica que as avaliações ocorrem em salas virtuais onde os alunos-pesquisadores apresentam o projeto e são arguidos pelos avaliadores. Segundo ela, a votação via internet também é muito importante. Basta curtir a postagem no Facebook.

Conheça os projetos e aproveite para votar:

Carregador Indutor Solar Portátil

O projeto dos alunos do ensino médio Ana Júlia Monteiro de Carvalho, Beatriz Cecília Nobre da Silva e Adalberon Lopes de Lima Junior consiste em carregador portátil que funcione à base de luz solar. Buscando a praticidade, a eficiência e a sustentabilidade, ele foi pensado para ser pequeno e funcionar com celeridade para poder ser utilizado em qualquer lugar. Saiba mais sobre essa ideia.

Reutilização de Pneus para Construção de Pisos

Os pneus são um dos grandes problemas ambientais da humanidade. O descarte irregular causa problemas ao meio ambiente, pois um pneu demora cerca de 600 anos para se decompor, e à saúde, com a proliferação de vetores de doenças. A ideia dos alunos Antônio Pedro Ferreira da Silva e Beatriz de Araújo Pulcino é solucionar esse problema, em parte, reaproveitando esse material na produção de pisos táteis sustentáveis para deficientes visuais e de baixa visão. Conheça o projeto e vote.

Implantação de Placas em Braille Sustentáveis

A equipe do ensino médio formada pelos alunos do SESI Eduardo Mamedes Martiniano Monteiro, Jayane Milena Tavares Melo e Jhonata Augusto Silva idealizou placas feitas de canos PVC, sobras de obras realizadas ao redor do colégio, e também capas de plástico de trabalhos descartados pelos professores para fazer placas de sinalização escrita em Braille. O objetivo é amenizar os transtornos enfrentados pelos deficientes visuais no dia-a-dia, além de unir sustentabilidade e acessibilidade. Acesse e veja mais informações.

Relacionadas

Leia mais

Robótica: voltar às aulas com segurança é o objetivo do novo desafio do SESI
Confira as matérias mais lidas da Agência CNI de Notícias
Dever de casa: professores do SESI se reinventam para dar aulas na pandemia

Comentários