Programa de inglês do SESI e SENAI, Conexão Mundo abre portas para o mercado de trabalho

Escolas de 32 cidades, de 20 estados brasileiros, irão participar do programa que estimula a fluência no idioma inglês e promove o intercâmbio cultural
O Conexão Mundo começou em 2012. De lá pra cá, três mil estudantes aprenderam inglês através do programa

O programa Conexão Mundo, iniciativa do Serviço Social da Indústria (SESI) e do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI), em parceria com a ONG US-Brazil Connect, amplia sua atuação em 2015. Escolas de 32 cidades, de 20 estados brasileiros, irão participar do programa que estimula a fluência no idioma inglês e promove o intercâmbio cultural. No ano passado, 18 estados participaram. 

Sete cidades contarão com o programa pela primeira vez: João Pessoa (PB), Parnaíba (PI), Maringá e Ponta Grossa (PR), Santa Cruz (RJ), Campinas (SP) e a região administrativa do Gama (DF). Além delas, outras 25 cidades das cinco regiões do país vão ofertar as 2.040 vagas do Conexão Mundo (Confira relação completa ao fim da reportagem). 

As escolas já estão com as inscrições abertas. Podem participar do processo seletivo os alunos matriculados no ensino médio EBEP – Educação Básica do SESI Articulada com a Educação Profissional do SENAI. Eles farão uma prova para avaliar os conhecimentos de fala, leitura, audição e escrita no idioma inglês. 

Na recepção a turistas estrangeiros, Gabriel colocou em prática o aprendizado no Conexão Mundo

MERCADO DE TRABALHO - O Conexão Mundo oferece aulas via Facebook, hangouts e uma plataforma de ensino a distância. Ao final do programa, os 5% do total de alunos concluintes que apresentarem maior evolução no idioma terão a oportunidade de realizar a viagem de imersão aos Estados Unidos para um  programa de estudos e atividades culturais durante duas semanas. “O programa não melhora apenas o inglês dos jovens, mas impacta também no desempenho deles em outras disciplinas, além de torná-los mais responsáveis e aproximá-los do mercado de trabalho”, explica o diretor-adjunto de Educação e Tecnologia da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Sérgio Moreira. 

A mineira Gabriela Gatti, 18 anos, mora em Belo Horizonte e, desde julho do ano passado, trabalha como recepcionista bilíngue na Vallourec & Mannesmann, uma fabricante de tubos. Na empresa, ela conversa com pessoas de diversos países diariamente e garante que a fluência no inglês foi proporcionada pelo Conexão Mundo. “Só fui contratada por causa do inglês. Antes, eu não conseguia conversar com ninguém no idioma. No Conexão Mundo é muito fácil aprender, mais do que em qualquer outro método”, diz. 

Gabriela, que concluiu o ensino médio no ano passado, participou do programa em 2013. Ela conta que pretende iniciar em breve o curso de Direito, fazer uma pós em Direito Internacional para trabalhar na área empresarial. “Agora meu sonho é morar em algum país da Europa ou nos Estados Unidos”, completa. Para Gabriela, a metodologia do Conexão Mundo facilita tudo. Ouça o que ela disse para a Agência CNI de Notícias clicando aqui.

De Maceió, o estudante Christian Scheuer, 17 anos, está no 2º ano da escola do SESI e SENAI. No ano passado, ele participou do Conexão Mundo e, nas últimas férias, já colocou em prática o que aprendeu em um trabalho temporário como intérprete na recepção de turistas estrangeiros que chegavam à cidade em navios de cruzeiros. “Todo o conhecimento que eu tinha em inglês vinha de filmes e séries. Antes do Conexão Mundo, eu não conseguia formular frases completas”, garante. Agora, ele planeja estudar fotografia ou até mesmo faculdade de Publicidade no Canadá. O Conexão Mundo abriu meus horizontes”. 

CONEXÃO COM OS SONHOS - Igor Eduardo Silva Arruda, 18 anos, teve muita dificuldade no início do programa, pois nunca havia estudado inglês. No entanto, durante as aulas, graças à sua dedicação, foi um dos alunos com melhor rendimento de Recife, garantindo assim  uma vaga para o intercâmbio de duas semanas nos Estados Unidos. “Na viagem pude conhecer pessoas que trabalham na área que estudo (Igor é estudante do curso técnico de química, no SENAI/ PE). Visitamos as empresas, conversei com muitos engenheiros químicos e mecânicos. Antes eu não sabia o que fazer no meu futuro. Agora sei realmente o que quero!”, diz o estudante, que está no 3º ano do ensino médio no SESI de Paratibe, na capital de Pernambuco. 

Meu sonho é ser cientista. Me imagino trabalhando com pesquisa em alguma empresa, desenvolvendo novos produtos para a sociedade. Eu escuto muitos amigos dizendo que é preciso passar três anos estudando inglês. Mas com o programa, em quatro meses, eu já conseguia me comunicar muito bem”, ressalta. 

Gabriel Marchiori, 18 anos, de Aracaju, diz que o Conexão Mundo o ajudou a se decidir sobre qual curso fazer no ensino superior: Relações Internacionais. “Pude desenvolver muito meu inglês. Posso dizer que saí do básico ao avançado. Hoje posso me comunicar com qualquer pessoa”, relata. 

Depois do Conexão Mundo, Gabriel decidiu fazer Relações Internacionais

Desenvolvido em parceria com a ONG US-Brazil Connect, o programa Conexão Mundo tem duração de 18 semanas, estruturado em três etapas. A primeira etapa contempla dois meses de ensino do idioma na modalidade de Educação a Distância, com a tutoria de estudantes ou professores norte americanos de cursos técnicos de Community Colleges parceiros do Programa. Cada tutor é responsável por uma turma de 10 a 12 brasileiros.Nesta fase, os alunos participam das aulas virtuais, feitas pelo Facebook, hangouts (bate-papos com webcam pelo Google) e uma plataforma virtual para aprendizado da gramática. 

Depois de oito semanas, inicia a segunda etapa, quando os tutores norte-americanos vêm ao Brasil para aulas presenciais nas escolas do Sistema Indústria durante quatro semanas. Essas aulas ocorrem de segunda a sexta-feira, entre junho e julho, no período de férias dos brasileiros, e envolvem dinâmicas, jogos e simulação de situações comuns do mercado de trabalho.  A proposta é o desenvolvimento de atividades presenciais que estimulem o amadurecimento do raciocínio no idioma inglês e a fluência na comunicação cotidiana. 

Em seguida, a terceira etapa segue com mais seis semanas de aulas pela internet, quando é retomada a metodologia de educação a distância. Nesta fase as atividades estão orientadas para o desenvolvimento de atividades escritas e a aquisição de vocabulários especializados. 

Ao final das 3 etapas, os 5% do total de alunos que concluíram o programa e se destacaram são selecionados para um intercâmbio cultural de duas semanas nos Estados Unidos. Na viagem, eles ficam hospedados em casas de família, conhecem escolas, universidades e museus, dentre outros, viabilizando assim oportunidades para a prática do idioma aprendido.

Maceió, Manaus, Macapá, Salvador, Taguatinga (DF), Gama (DF), Vila Velha (ES), Linhares (ES), Vitória, Aparecida de Goiânia (GO), Contagem (MG), Vespasiano (MG), Dourados (MS), Três Lagoas (MS), Corumbá (MS), Várzea Grande (MT), João Pessoa, Recife, Petrolina (PE), Parnaíba (PI), Curitiba, Maringá (PR), Ponta Grossa (PR), Santa Cruz (RJ), Natal, Porto Velho, Cacoal (RO), Blumenau (SC), Joinville (SC), Jaraguá do Sul (SC), Aracaju e Campinas (SP).

HISTÓRICO - O Conexão Mundo foi criado em 2012. No primeiro ano, atendeu 200 estudantes de Salvador. Em 2013, o programa foi estendido a 800 participantes de sete cidades do país. E no ano passado, foram ofertadas 2 mil vagas para 31 escolas de 18 estados. 

QUALIFICAÇÃO - Com o programa, o Sistema Indústria proporciona experiências únicas de qualificação para os brasileiros, ao atribuir a devidaimportância do idioma inglês para a vida pessoal e profissional de seus alunos.  Além de favorecer o aprimoramento na fluência do idioma inglês, o Conexão Mundo estimula o amadurecimento de um relacionamento intercultural e inova no uso de redes sociais aplicada à educação. 

Relacionadas

Leia mais

Intercâmbio de conhecimento
SESI apoia campanha de incentivo à doação para fundos da criança e do adolescente
Programa de capacitação em Inglês beneficia mais de 5 mil estudantes do SESI e do SENAI

Comentários