Com projeto de pílula que reduz ansiedade, alunos de Curitiba se classificam para Torneio Nacional de Robótica

Os estudantes da Escola Municipal Coronel Durival Brito e Silva conquistaram a vaga na etapa regional realizada no Paraná. Competição com mais de 80 equipes de todo o Brasil será realizada entre os dias 15 e 17 de março, no Rio de Janeiro
A equipe Conectados foi criada em 2009

Veterana nas competições, a equipe de robótica da Escola Municipal Coronel Durival Brito e Silva, de Curitiba, estará na etapa nacional do Torneio SESI de Robótica FIRST LEGO League, que será realizada no Rio de Janeiro (RJ), entre os dias 15 e 17 de março. O time formado por dez alunos, entre 12 e 15 anos, vai disputar ao lado de outras nove equipes do Paraná. 

A equipe, que recebeu o nome de Conectados, existe desde 2009 e já na estreia venceu o torneio daquele ano, que tinha como tema as conexões climáticas. A partir daí, tem sido destaque. Em 2016 foi para os Estados Unidos representar o Brasil na competição internacional. A classificação para a etapa nacional veio no ano passado, durante a fase regional, em Curitiba. 

Para esta temporada, com o tema Into Orbit (Em órbita), os alunos da escola municipal criaram uma pílula para reduzir a ansiedade e melhorar o sono do astronauta. Eles chegaram ao projeto depois de pesquisarem quais as dificuldades que mais surgem nas missões espaciais. 

“O problema que a gente identificou dessa vez foi o estresse que é excessivo e a insônia que o astronauta sofre durante uma viagem espacial. Então, com isso a gente criou uma solução, que seria uma cápsula gelatinosa e dentro tem lavanda seca para ajudar nesse estresse, nessa insônia”, explica a integrante da equipe, Monique Nogueira, 15 anos.  

Por causa da idade, esta é a última participação de Monique na equipe. A estudante conta que mesmo estando fora das próximas competições, pretende continuar no caminho da robótica e ajudar a equipe repassando todo o conhecimento e experiência que adquiriu. “Eu não sei bem a carreira que eu quero seguir, mas robótica é uma coisa que evolui com o tempo, então eu quero estar nesse meio da evolução, de criar coisas novas e fazer descobertas importantes”, afirma.

O objetivo do torneio é fazer com que os estudantes ingressem no mundo da ciência e tecnologia de uma forma divertida, a partir da construção e programação de robôs feitos com peças de LEGO. A técnica da equipe Conectados, Joselene da Costa Vaz, explica que os alunos são avaliados pelo projeto de pesquisa, construção do robô, cumprimento de missões com o próprio robô e trabalho em equipe. Por isso, segundo a técnica, eles acabam desenvolvendo importantes características.

“Além dessa questão de estarem se autodesenvolvendo, tendo empatia uns com os outros, conversando, interagindo, ajudando o próximo, a maioria dos alunos que saem vão para escolas técnicas, eles vão para cursos de engenharia, então eles conseguem, através da robótica, descobrir uma nova profissão”, explica.

O TORNEIO - O desafio da temporada, Into Orbit, explora a temática espacial, envolvendo satélites, comunicação, sobrevivência e aspectos psicológicos em que os astronautas estão sujeitos em uma viagem espacial. Crianças e jovens de 9 a 16 anos podem participar do Torneio SESI de Robótica FIRST LEGO League.  O Serviço Social da Indústria (SESI), que investe em programas de robótica desde 2006, é o responsável pela realização do torneio no Brasil. 

Para a gerente de Educação Profissional da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (FIEP), Vanessa Frason, essa experiência fortalece a capacidade de inovação, criatividade e raciocínio lógico dos alunos, além de torna-los competentes para o mundo do trabalho. “O fato de a gente trabalhar com situações da vida real é importante porque vai dar para ele uma noção de como efetivamente as coisas funcionam no mundo real e certamente isso vai facilitar para ele depois, futuramente, uma formação profissional”, ressalta. 

Relacionadas

Leia mais

Rio de Janeiro vai receber o maior Festival de Robótica do Brasil
INFOGRÁFICO: Viaje no espaço com o Torneio SESI de Robótica
VÍDEO: Das etapas regionais ao pódio mundial - veja como foi a temporada 2017/2018 do Torneio de Robótica

Comentários