CNI e governo firmam acordo para fortalecer indústria de defesa

Parceria prevê a realização de estudos, pesquisas e eventos para debater estratégias, políticas públicas e ações conjuntas voltadas para o setor
Parceria entre CNI e MD prevê levantamento de dados sobre a indústria de Defesa

A Confederação Nacional da Indústria (CNI) e o Ministério da Defesa (MD) assinaram acordo de cooperação técnica focado na promoção, fortalecimento e desenvolvimento da indústria brasileira de defesa. Válida por 36 meses, a parceria prevê a realização de estudos, pesquisas, seminários, a realização e divulgação de publicações. 

O plano de trabalho destaca que as informações hoje disponíveis estão defasadas. O documento informa que o último dado disponível sobre o PIB bruto da Defesa e Segurança, geração de emprego e renda é de 2014. "Estas informações são relevantes no apoio à tomada de decisão, implementação, avaliação e monitoramento das políticas públicas elaboradas pelo Ministério da Defesa", ressalta a Justificativa do plano de trabalho. 

O acordo de cooperação técnica assinado pelo presidente da CNI, Robson Braga de Andrade, e pelo diretor do Departamento de Administração Interna do MD, contra-almirante Alexandre Chaves de Jesus, não prevê a transferência de recursos entre as partes. A parceria permitirá o levantamento de dados que ampliam o conhecimento sobre o setor produtivo de defesa e mostrem a importância socioeconômica da indústria de Defesa para o país. 

Também faz parte do escopo do trabalho o mapeamento da cadeia produtiva direta e indireta; o levantamento de dados sobre o mercado de trabalho; estruturas de emprego e educação; efeitos dos investimentos no setor para a economia do país. O monitoramento do acordo será feito pela Diretoria de Educçaão e Tecnologia (Diret), no âmbito da CNI, e pela Secretaria de Produtos de Defesa (Seprod), por parte do MD. 

Relacionadas

Comentários