OCDE divulga roadmap para entrada do Brasil na Organização

Documento é mais um passo no caminho para acessão ao grupo de países, o que pode atrair investimentos e ampliar a integração da economia brasileira

O Conselho de Ministros da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) divulgou, nesta quinta-feira (9), o roadmap do processo de acessão do Brasil à Organização. O documento indica os termos e condições a partir dos quais o país será analisado, incluindo uma lista de princípios centrais para avaliação técnica, e os diferentes comitês temáticos envolvidos na avaliação das políticas e legislações do país-candidato. Nessa etapa, que pode durar em média de três a quatro anos, são negociados ajustes que o Brasil precisará realizar para se alinhar às principais normas da Organização.

Esse é mais um avanço no caminho de acessão do Brasil à OCDE. Em janeiro, o colegiado aprovou o convite para iniciar as discussões para o país se tornar um membro efetivo da Organização. Essa inclusão irá atrair mais investimentos em áreas estratégicas, como comércio, meio ambiente, ciência e tecnologia, dentre outras, e ampliar a integração da economia brasileira com as cadeias globais.

País-candidato mais convergente com os instrumentos legais da Organização, o Brasil aderiu a 106 de 251 instrumentos da OCDE, conforme o painel de monitoramento elaborado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). Confirra o desempenho em cada tema.

Para saber mais sobre o processo de acessão do Brasil à OCDE, acesse o especial preparado pela Agência de Notícias da Indústria.
 

Relacionadas

Leia mais

Ingresso na OCDE é prioridade de Estado
Brasil começa o processo de entrada na OCDE: o que acontece agora?
Brasil na OCDE: O que o país ganha com esse acordo?

Comentários