Nova lei trabalhista melhora ambiente de negócios, fomenta a atividade produtiva e a geração de empregos

Em discurso no lançamento do livro do deputado Rogério Marinho, relator da reforma trabalhista, presidente Robson Braga de Andrade defendeu importância da modernização das relações do trabalho
Robson Braga de Andrade e o deputado Rogério Marinho

A nova legislação trabalhista contribuiu para sedimentar um ambiente de negócios mais adequado para as atividades produtivas e para o crescimento do Brasil. De acordo com o presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Braga de Andrade, a chamada reforma trabalhista – na forma da Lei nº 13.467/17 – contribuirá para um futuro com mais qualidade de vida, mais empregos e mais oportunidades. “Após 20 anos de discussões, o Brasil finalmente conseguiu ver aprovada a modernização das relações do trabalho”, afirmou.

O discurso de Andrade marcou a abertura da cerimônia de lançamento do livro Modernização das leis trabalhistas: o Brasil pronto para o futuro, em Brasília. Autor da obra e relator na Câmara do projeto de lei que resultou na atualização da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), o deputado Rogério Marinho (PSDB-RN) lembrou do processo de construção da proposta, durante os debates no Congresso Nacional e defendeu a mudança de paradigma nas relações do trabalho no Brasil.

Em relação aos seis primeiros meses de vigência da lei, ele destacou a redução na litigiosidade nas relações do trabalho, com queda no número de novas ações ingressadas na Justiça do Trabalho; no uso cada vez mais recorrente das rescisões por acordo – que também contribuem para a redução do conflito – mas alertou para as resistências à lei e a tentativas de revogar ou de não aplicá-la. “Temos uma nova legislação que dá condições para que quem empreende no Brasil continue a empreender e a gerar empregos. Mas é preciso atenção, para que não haja retrocessos”, avisou.

Relacionadas

Leia mais

A lei existe para ser cumprida
Indústria brasileira pode capturar oportunidades abertas pelas novas tecnologias

Comentários