SESI da Paraíba lança Simpósio Virtual de SST com participação de especialistas da área

O lançamento do Simpósio contou com a participação do gerente executivo de Saúde e Segurança na Indústria do SESI, Emmanuel Lacerda e do médico especialista da instituição, Cláudio Patrus
Representantes do SESI Nacional participaram do lançamento do Simpósio por vídeo chamada

Na última terça-feira (21/7), o Serviço Social da Indústria (SESI) da Paraíba lançou o Simpósio Virtual de Saúde e Segurança do Trabalho (SST), durante uma transmissão em suas redes sociais. Participaram do lançamento o gerente executivo de Saúde e Segurança na Indústria do SESI, Emmanuel Lacerda, e o médico especialista da instituição, Cláudio Patrus.

Na ocasião, Emmanuel Lacerda disse que o cenário atual - se referindo a pandemia de Covid-19 - apesar de desafiador, trouxe oportunidades para as empresas.

“Quando observamos na perspectiva da Saúde e Segurança, essa pandemia trouxe oportunidades, sobretudo porque muitas empresas que se enquadram nos segmentos considerados essenciais, ou seja que não pararam de funcionar, ficaram com o nível mínimo de trabalhadores. Um outro aspecto foi a aceleração dos processos digitais e com isso muitas empresas passaram a oferecer serviços dentro deste novo contexto de digitalização." comentou o gerente do SESI.

"Nós, que fazemos parte do SESI, estamos ao longo desse período auxiliando as empresas em relação aos seus programas de Saúde, levando orientações e até ajudando na criação dos protocolos Internos”, completa Emmanuel.

Segundo Lacerda, o SESI possui um dos maiores portfólios de Normas Regulamentadoras - NRs do Brasil - e, nos últimos meses, as empresas mais atentas à Saúde e Segurança dos trabalhadores têm buscado a instituição em busca dos serviços de SST.

Emmanuel Lacerda anunciou ainda o lançamento de uma nova ferramenta on-line para empresas

Durante o lançamento, o representante do SESI ainda anunciou que no próximo mês de agosto, a instituição vai lançar outra novidade para atender as empresas. “Vamos uma plataforma de telemedicina, onde usaremos a inteligência artificial, para atender as empresas que tem até uma necessidade de atender os casos assintomáticos ou suspeitos de Covid-19. Será um serviço com um custo baixo, onde as empresas terão acesso a algo estruturado oferecido pelo SESI”, explicou.

Já o médico especialista do SESI, Cláudio Patrus realizou uma apresentação do Protocolo SESI de retomada das atividades produtivas em tempos de Covid-19, que busca orientar as empresas na elaboração do plano de retomada gradual, de maneira segura, uma vez que reúne recomendações e as melhores práticas com base técnico-científicas, referendadas por órgãos nacionais e internacionais.

“Estamos tratando de uma doença muito nova, então precisamos analisar e acompanhar a evolução epidemiológica da doença. Pensando nisso, o SESI elaborou o Protocolo onde buscaremos sempre bases científicas novas para referendar a estrutura dele, e é importante que se busque sempre a última versão do documento, que estará disponível no site do SESI”, enfatizou.

Patrus lembrou que a aplicabilidade do protocolo deve ser baseada na realidade de cada região. “É preciso considerar a localização e particularidades da localidade onde a empresa está inserida, precisamos levar em conta o cenário epidemiológico, para que possamos aumentar ou reduzir as restrições e adaptações em função das medidas adotadas”, disse.

O Simpósio Virtual de Saúde e Segurança do Trabalho acontecerá entre os dias 28 e 30 de julho e terá transmissão no Instagram e no YouTube do SESI da Paraíba. As inscrições já estão abertas. Clique aqui para realizar a sua.

A Indústria contra o coronavírus: vamos juntos superar essa crise

Acompanhe todas as notícias sobre as ações da indústria no combate ao coronavírus na página especial da Agência CNI de Notícias

Relacionadas

Leia mais

Situação da indústria melhora em junho, embora país esteja claramente em crise, afirma CNI
Estamos empenhados em reduzir o Custo Brasil, diz Carlos da Costa
SENAI presta homenagem a rede voluntária que já consertou mais de 1.800 respiradores hospitalares

Comentários