SENAI firma parceria para consertar respiradores em Rondônia

Se houver necessidade, a equipe de transporte do Magazine Luiza se colocou à disposição para realizar o transporte dos equipamentos de Rondônia para outras unidades do SENAI no Brasil
Existem mais de 200 equipamentos na rede pública e os primeiros respiradores danificados já foram enviados para o Centro Tecnológico de Mecatrônica do SENAI

Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) de Rondônia, a Energisa e a Termonorte se uniram para fazer a manutenção de ventiladores pulmonares. O Centro Tecnológico de Mecatrônica (CETEM) já recebeu os quatro primeiros respiradores para manutenção.

O presidente da Federação das Indústrias do Estado de Rondônia (FIERO), Marcelo Thomé afirma que a manutenção de equipamentos é um dos compromissos da indústria no enfrentamento da pandemia. “Em todo o Brasil, o SENAI mantém uma rede de manutenção, que somada a empresas multinacionais se engajaram na cadeia voluntária +Manutenção para garantir o funcionamento dos respiradores”, ressalta.

O coordenador de Soluções em Tecnologia e Inovação STI-SENAI Rondônia, José Rafael Nascimento Lopes informa que, segundo dados da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), existem mais de 200 equipamentos na rede pública e os primeiros respiradores danificados já foram enviados para o Centro Tecnológico de Mecatrônica (CETEM). Conforme as informações dos órgãos de saúde, cada respirador em atividade tem a capacidade de atender e salvar 10 vidas.

De acordo com a coordenação de STI, reparos de maior complexidade, que não sejam solucionados no CETEM, serão enviados para o Centro Integrado de Manutenção e Tecnologia (CIMATEC) do SENAI da Bahia, ou para outra unidade do SENAI no Brasil apta a efetuar esta manutenção e que possa atender a demanda.

A logística para envio e retorno destes equipamentos acontece em parceria com a Força Aérea Brasileira (FAB). A equipe de transporte do Magazine Luiza também se colocou à disposição para realizar o transporte dos equipamentos de Rondônia para uma das unidades habilitadas da rede SENAI no Brasil. Em Rondônia, o transporte ficará sob a responsabilidade da Energisa.

Para o diretor-presidente da Energisa Rondônia, André Theobald, "o trabalho em parceria é uma das premissas do movimento Energia do Bem, que a Energisa criou para apoiar iniciativas de combate aos efeitos da pandemia da Covid-19. É natural que estejamos unidos com a FIERO e o SENAI, instituições das quais já atuamos em conjunto em outras frentes, como o programa Geração Energia, que visa a capacitação de jovens para o mercado de trabalho, e a formação de novos eletricistas", comenta.

A Indústria contra o coronavírus: vamos juntos superar essa crise

Acompanhe todas as notícias sobre as ações da indústria no combate ao coronavírus na página especial da Agência CNI de Notícias.

Relacionadas

Leia mais

Rede coordenada pelo SENAI devolve a hospitais mais de 1 mil  respiradores pulmonares
VÍDEO: Em meio a pandemia, empresários evitam demissões. Veja no Minuto da Indústria
66% das empresas industriais não demitiram por conta da pandemia, mostra pesquisa da CNI

Comentários