Parceiros da MEI apresentam ações de combate ao novo coronavírus

Iniciativas de parceiros da Mobilização Empresarial pela Inovação, liderada pela CNI, vão desde a ampliação de crédito e a suspensão de pagamentos de dívidas até o lançamento de chamadas para projetos inovadores
Institutos de inovação e tecnologia do SESI e do SENAI vão ajudar no combate ao novo coronavírus

Parceiros da Mobilização Empresarial pela Inovação (MEI), liderada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), divulgaram medidas tomadas para contribuir para a mitigação dos efeitos da pandemia do novo coronavírus. As iniciativas vão desde a ampliação de crédito e a suspensão de pagamentos de dívidas até o lançamento de chamadas para projetos que resultem em inovações tecnológicas voltadas para o diagnóstico e tratamento dos doentes da Covid-19.

O investimento em inovação é essencial para potencializar esforços na busca por soluções para os problemas causados pela pandemia. O Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) e o Serviço Social da Indústria (SESI) têm colocado sua estrutura de inovação a serviço do combate ao coronavírus. Uma das medidas de destaque é a parceria do SENAI com 10 grandes indústrias para realizar a manutenção de respiradores mecânicos que estão sem uso para voltarem a ser usados no tratamento de pacientes com covid-19.

As empresas parceiras do SENAI no projeto são: ArcelorMittal, Fiat Chrysler Automóveis (FCA), Ford, General Motors, Honda, Jaguar Land Rover, Renault, Scania, Toyota e Vale. Além disso, o Edital de Inovação para a Indústria destinou um total de R$ 30 milhões para o desenvolvimento de soluções contra o coronavírus. Em um primeiro momento foram destinados R$ 10 milhões para os projetos. No dia 26 de março, o Edital lançou nova chamada no valor de R$ 20 milhões.

A diretora de Inovação da CNI, Gianna Sagazio, destaca que é fundamental dar publicidade a essas iniciativas para incentivar cada vez mais empresas e entidades a adotarem ações em prol do combate ao coronavírus. Ela ressalta também a importância de ações inovadoras capazes de atenuar a doença e auxiliar doentes neste momento de crise.

Entre as ações adotadas por empresas que integram a MEI, também está a iniciativa da Vale de destinar até 1 milhão de dólares, em colaboração com o Hospital Israelita Albert Einstein e a Rede Mater Dei de Saúde, para escalar soluções de combate ao coronavírus.

A Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (EMBRAPII), por sua vez, aumentou o aporte de recursos não reembolsáveis para empresas desenvolverem projetos de combate ao coronavírus. No modelo tradicional, a EMBRAPII arca com até um terço do valor dos projetos, mas agora o estímulo é maior, ampliando o percentual deste aporte para projetos ligados ao enfrentamento da pandemia.

Além de flexibilizar a regra de um terço, a EMBRAPII destinou R$ 6 milhões, sendo R$ 2 milhões da parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE), para projetos de startups e pequenas empresas, associadas ou não a médias e grandes empresas.

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) anunciou medidas em caráter emergencial. As novidades somam R$55 bilhões e incluem a transferência de recursos do Fundo PIS-PASEP para o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS); a suspensão temporária de pagamentos de parcelas de financiamentos diretos e indiretos para empresas; e a ampliação do crédito para micro, pequenas e médias empresas.Já a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) lançou duas chamadas, somando um valor de R$ 30 milhões, para projetos inovadores voltados ao combate do novo coronavírus. Uma das chamadas é em parceria com a Financiadora de Estudos e Projetos (Finep).

SENAI + EMPRESAS PARCEIRAS

O SENAI e dez grandes indústrias se uniram para realizar a manutenção de respiradores mecânicos que estão sem uso, a fim de ajudar no tratamento de pacientes com covid-19. A “Iniciativa + Manutenção de Respiradores”, uma rede voluntária, conta com 25 pontos para receber os equipamentos, dos quais dez são unidades do SENAI e 15 estão em plantas das seguintes empresas: ArcelorMittal, Fiat Chrysler Automóveis (FCA), Ford, General Motors, Honda, Jaguar Land Rover, Renault, Scania, Toyota e Vale.

100 OPEN STARTUPS

A Iniciativa pretende conectar empresas de qualquer porte, órgãos governamentais e sociedade civil com startups e comunidade ciecntífica para criar soluções para que a crise do coronavírus seja enfrenta de forma rápida, eficaz e reduzindo ao máximo seu impacto. Será divulgado para startups as demandas apresentadas por empresas, governo e sociedade civil em até 24h e, em outras 24h, uma lista de soluções será apresentada.

VALE

A Vale disponibilizará até 1 milhão de dólares, em colaboração com o Hospital Israelita Albert Einstein e a Rede Mater Dei de Saúde, para escalar soluções para o combate a COVID-19 nas temáticas: "Prevenção e rastreamento de risco", "Triagem e Diagnóstico" e "Monitoramento e Acompanhamento de pacientes", “Cuidados intensivos”. Além, destas, também há a categoria “Open Challenge”, que engloba outros temas.

As soluções devem ter maturidade necessária para serem implantadas em até 15 dias (a contar da aprovação) e ser de baixo ou zero custo para o usuário final.

GOVERNO FEDERAL (BNDES e Bancos Privados)

Linha de crédito emergencial para auxílio na folha de pagamento de pequenas e médias empresas. Serão disponibilizados até R$ 20 milhões por mês, por dois meses, com previsão de auxílio à cerca de 1,4 milhões de empresas nacionais.

As empresas que poderão acessar o crédito devem ter faturamento entre R$ 360 mil e R$ 10 milhões por ano. A carência do crédito é de seis meses com prazo de quitação de 36 meses. A taxa de juros será correspondente à taxa básica (3,75% ao ano).

EMBRAPII e SEBRAE

A EMBRAPII aumentou o aporte de recursos não reembolsáveis para empresas desenvolverem projetos de combate ao coronavírus. No modelo tradicional, a EMBRAPII arca com até um terço do valor dos projetos, mas agora o estímulo é maior, ampliando o percentual deste aporte para projetos ligados ao enfrentamento da pandemia.

Além de flexibilizar a regra de um terço, a EMBRAPII destinou R$ 6 milhões, sendo R$ 2 milhões da parceria com o SEBRAE, para projetos de startups e pequenas empresas, associadas ou não a médias e grandes empresas.

ABSTARTUPS

A Associação Brasileira de Startups (Abstartups) e a Comunidade Governança & Nova Economia (Gonew.co) lançaram a campanha #StartupsVsCovid19 para buscarem iniciativas capazes de mitigar o impacto causado pela pandemia. A iniciativa propõe que empresas compartilhem experiências e soluções por meio da hashtag #StartupsVsCovid19, com o objetivo de levar informação ao maior número de interessados. Até esta terça-feira (24), contabilizam-se mais de 40 soluções mapeadas.

Para participar, basta que a startup compartilhe a hashtag #StartupsVsCovid19 nas redes sociais e cadastre sua solução em um formulário, explicando como o produto ou serviço comercializado pela empresa pode contribuir para a melhoria do cenário.

BNDES

O BNDES anunciou medidas em caráter emergencial para ajudar a mitigar os efeitos da pandemia do novo coronavírus no Brasil. As novidades, que somam R$55 bilhões, são: a) transferência de recursos do Fundo PIS-PASEP para o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), no valor de R$ 20 bilhões; b) suspensão temporária de pagamentos de parcelas de financiamentos diretos para empresas, no valor de R$ 19 bilhões; c) suspensão temporária de pagamentos de parcelas de financiamentos indiretos para empresas, no valor de R$ 11 bilhões; e d) ampliação do crédito para micro, pequenas e médias empresas, por meio dos bancos parceiros, no valor de R$ 5 bilhões.

DESENVOLVE SP

A Desenvolve SP remodelou suas linhas de crédito para auxiliar as empresas do estado de São Paulo no enfrentamento dos impactos financeiros da pandemia. Micro, pequenas e médias empresas paulistas podem contar com capital de giro com taxa de juro reduzida, maiores prazos de pagamento e carência. Há também linhas de financiamentos para projetos de investimento com prazos de carência estendidos.

FAPESP e FINEP

A FAPESP lança duas chamadas no valor de R$ 30 milhões, uma em parceria com a FINEP, para projetos que resultem em inovações tecnológicas voltadas para o diagnóstico e tratamento dos doentes de COVID-19. A primeira, no valor de R$ 10 milhões, suplementa recursos para projetos já em andamento.

A segunda, no valor de R$ 20 milhões, oferece linha especial de financiamento para aplicação ou escalonamento de processos ou produtos relacionados à doença, a exemplo de kits diagnósticos, ventiladores pulmonares, equipamentos de proteção aos profissionais da saúde, soluções de tecnologias digitais e inteligência artificial para os serviços de saúde ou atendimento aos pacientes.

UNICAMP

A Agência de Inovação da Unicamp abre uma chamada de cases de startups que têm ou estão adaptando ou desenvolvendo soluções que possam mitigar problemas relacionados à pandemia do COVID-19.

O propósito é conhecer as soluções dessas startups, em especial das empresas-filhas da Unicamp fundada por ex-alunos da Universidade, para que elas sejam divulgadas e, assim, conectadas às entidades ou pessoas que estão enfrentando os problemas.

A Indústria contra o coronavírus: vamos juntos superar essa crise

Acompanhe todas as notícias sobre as ações da indústria no combate ao coronavírus na página especial da Agência CNI de Notícias.

Conteúdo atualizado no dia 3/4 às 19h20

Relacionadas

Comentários