O torneio de robótica é uma oportunidade de autoconhecimento, diz Lucas Trambaiolli

Ex-competidor e agora juiz da competição, Trambaioli faz doutorado em Neurociências. Ele participou da abertura do Torneio Nacional de Robótica, no SESI Taguatinga, no Distrito Federal
Mais de 700 estudantes de escolas públicas e particulares participam da disputa

Nunca desistir dos sonhos. Essa é a mensagem que o doutorando em Neurociências, pela  Universidade Federal do ABC, Lucas Trambaiolli, 27 anos, passou para os mais de 700 competidores que participaram da abertura do Torneio de Robótica FIRST Lego League. A competição começou nesta sexta-feira (17), na unidade do Serviço Social da Indústria (SESI), em Taguatinga, no Distrito Federal. Ao todo são 74 equipes, com estudantes de 9 a 16 anos, de escolas públicas e particulares.

Para Trambaiolli, o importante é mostrar aos estudantes que existem vários amanhãs. “Durante os torneios, muitos deles começam a sonhar com o futuro, profissões, projetos e ideias. Às vezes isso muda. A nossa ideia é dizer para eles nunca desistirem porque sempre vão surgir novas oportunidades durante toda a vida”, diz.

Ao lembrar que já esteve no lugar dos meninos como competidor, Trambaiolli ressalta que o torneio é um grande aprendizado. “O torneio traz oportunidade de autoconhecimento. O aluno vai saber onde ele é bom e onde precisa melhorar. Vai ter contato com várias carreiras e começa a ter perspectivas de futuro e de mercado de trabalho. E isso é muito importante para uma geração que tem muita informação e não sabe filtrar”, afirma.

CIÊNCIA EM SHOW – E não foi uma simples abertura do torneio, foi uma cerimônia explosiva. É que pouco depois da palestra com Lucas Trambaiolli, o palco foi tomado pelos apresentadores do Ciência em Show, que na realidade são físicos formados na Universidade de São Paulo (USP).

“Quando a gente chega, o pessoal sempre pergunta o que a gente vai explodir hoje”, conta aos risos Wilson Namen, um dos integrantes do grupo. O Ciência em Show faz experimentos com eletricidade, nitrogênio líquido e outros elementos, tudo baseado em conceitos científicos. “A ideia é mostrar a ciência, através de fenômenos, sempre de maneira simples e descontraída. Mostrar que é algo divertido e que todo mundo está envolvido com a ciência diariamente”, explica.

A COMPETIÇÃO – O Torneio Nacional de Robótica continua neste sábado (18) e domingo (19), com entrada gratuita de 9h às 17h, nos dois dias. Quem passar pelo SESI Taguatinga vai acompanhar uma disputa emocionante com robôs de Lego, projetados e programados pelos estudantes. Esses robozinhos precisam cumprir determinadas missões na mesa de competição, baseadas no tema da temporada: Animal Allies (Animais Aliados), como por exemplo, salvar animais de áreas de risco, claro, são todas peças de Lego.

As equipes também apresentam projetos de pesquisa relacionados ao tema. São soluções inovadoras para melhorar a relação entre homens e animais. Os robôs e os projetos são avaliados pelos juízes da competição, que também ficam de olho no comportamento dos times. Trabalho em equipe vale pontos importantes. Ao final, as melhores equipes garantem vagas em torneios internacionais na Austrália, Reino Unido, Estados Unidos e Dinamarca.

ACOMPANHE - Veja tudo o que está rolando na competição! Confira todas as fotos no Flickr da CNI, no perfil do Torneio de Robótica no Facebook, Instagram (@torneioderoboticafll) e, claro, no site oficial do evento.

Relacionadas

Leia mais

VÍDEO: Robótica pode abrir portas do mercado de trabalho
Equipes dão show de criatividade no Torneio Nacional de Robótica
Estudantes descobrem vocação profissional graças à robótica

Comentários