Foi dada a largada para o mundial de robótica nos Estados Unidos

Nesta quinta-feira (19), as equipes do SESI fizeram os primeiros testes nos robôs de Lego. São os últimos ajustes em busca dos melhores resultados no World Festival, em Houston
O dia serviu para fazer o reconhecimento do espaço e, também, os últimos ajustes com muita concentração

A previsão é de tempo bom para as equipes brasileiras que participam do World Festival, nos Estados Unidos. Com a temperatura em torno de 27 graus, a cidade de Houston tem quase um clima tropical, que os brasileiros conhecem muito bem. Já dentro do centro de convenções, onde acontece a competição, o clima é bem mais quente. 

Calma! O ar condicionado funciona. Estamos falando é do calor humano e do clima de otimismo das equipes brasileiras na disputa: Thunderbóticos (de Rio Claro), Jedi's (Jundiaí), Big Bang (Birigui) e Red Rabbit (Americana), todas de escolas do Serviço Social da Indústria (SESI) de São Paulo, além do time pernambucano Visão Elétronsbot, do Colégio Visão, de Recife. 

São estudantes com idade entre 9 e 16 anos, que se encantaram com Houston. Para Greta Tiosso, 16 anos, da equipe Red Rabbit, a competição nos Estados Unidos tem um clima muito diferente das edições no Brasil. “É uma cidade muito grande, muitas construções e com muitas diferenças. Sem falar das equipes com roupas variadas e comidas que a gente nunca viu, mas vamos experimentando tudo”, conta. 

Larissa Cazonato, 13 anos, da equipe Jedi’s, confessa que o inglês dificulta um pouco, mas a robótica ajuda nessas horas. “É uma oportunidade única pra gente. Eu tenho um pouco de dificuldade no inglês, mas consegui superar o medo de falar. E apesar da quantidade de equipes, temos muito tempo de treino e acho que podemos alcançar bons resultados”, afirma.

Passada a euforia da chegada, do reconhecimento de área, do estranhamento e entrosamento com tantos idiomas, agora as equipes entraram de vez no ritmo da competição. Nesta quinta-feira (19), começaram os rounds testes com os robôs de Lego. É a preparação para o Desafio do Robô, uma das categorias de avaliação das equipes. A disputa vai até sábado (21).

Para o competidor Felipe Bataglini, 14 anos, da Thunderbóticos, chegou o momento de focar nos resultados. “Agora é hora de mostrar nosso robô em ação durante os rounds. Inicialmente conseguimos uma pontuação de 365 pontos. Estamos muito felizes com a atuação do nosso robô durante o round teste”, diz. 

E se tem alguém que sofre, pula, se emociona e fica com o coração na mão a cada desafio, esse alguém é o técnico das equipes. Walter Júnior é um deles. Ele orienta a equipe Big Bang, e ficou satisfeito com o primeiro dia de testes.

“Precisamos de muita dedicação aqui, sempre respeitando as outras equipes e demonstrando Core Values. Independentemente de resultados, a competição é um aprendizado para a vida toda. Meus alunos já aprendem conceitos de física e engenharia na montagem dos equipamentos, e ainda estão no ensino médio”, afirma o técnico Walter Júnior.

AVALIAÇÃO DAS EQUIPES – Assim como aconteceu no Torneio Nacional de Robótica, organizado pelo SESI, no World Festival, o desafio é o mesmo: Hydro Dynamics. É a busca de soluções inovadoras para a questão da água. Os times serão avaliados em quatro categorias: no Desafio do Robô, os estudantes colocam os robôs de Lego para cumprir missões na mesa de competição, como por exemplo, remover um cano quebrado ou virar tampas de bueiro.

Os robôs, projetados e construídos pelos alunos, também são avaliados na categoria Design do Robô. Os times podem utilizar sensores de movimento, cor, toque, controladores e motores. Conta pontos ainda o Projeto de Pesquisa com uma solução inovadora sobre o uso da água. Pode ser, por exemplo, na produção de alimentos ou na geração de energia. Por fim, na categoria Core Values, os estudantes precisam mostrar que sabem trabalhar em equipe.

A disputa segue até sábado (21), quando serão conhecidos os campeões mundiais

SAIBA MAIS – Acompanhe a cobertura completa da participação brasileira no World Festival na Agência CNI de Notícias e no perfil do Torneio de Robótica no Facebook e Instagram.

Relacionadas

Leia mais

Equipes do SESI estão prontas para entrar em ação no mundial de robótica, em Houston
Alunos do SESI participam do maior torneio mundial de robótica, nos Estados Unidos
Conheça as equipes campeãs do Torneio Nacional de Robótica 2018

Comentários