Competição mundial de profissões técnicas é oportunidade para ser visto por empresas

Apaixonado por aviões, Gabriel vai à WorldSkills 2019, na Rússia, na categoria Manutenção de Aeronaves
O único competidor brasileiro tem como meta trazer o ouro e está treinando muito para isso

Em 2015, um jovem encantado pela aviação e com pressa de conseguir um emprego na área, matriculou-se no Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI). Três anos depois, Gabriel, 21 anos, é o único competidor do Brasil na categoria manutenção de aeronaves e se prepara para representar Santa Catarina e o Brasil na maior competição de profissões técnicas do mundo, a WorldSkills que neste ano de 2019 acontece na cidade de Kazan, na Rússia, em agosto.

O treinamento é duro e ele quase não tem tempo livre para andar de carro ou frequentar a academia, mas não reclama, pois está focado em voltar da Rússia com o ouro. Além da disputa em si, Gabriel acredita que a competição ajuda a aprofundar todo o conhecimento adquirido no curso, com experts da área.

"A WorldSkills é um grande passo para entrar numa companhia já sabendo bastante coisa”, explica

Um dos planos do jovem apaixonado por aviões é fazer faculdade de Engenharia Elétrica, mas ele conta que também aceitaria ir trabalhar fora do Brasil caso algum olheiro o convidasse durante a competição. A Europa e os Estados Unidos são os destinos mais desejados pelo catarinense, filho de um pedreiro com uma professora e irmão de um ex-aluno do SENAI.

Gabriel demonstra paixão até ao falar das dificuldades da profissão. “O dia a dia do mecânico é difícil, porque a gente não pode errar né? Se errar a gente coloca a vida de outras pessoas em risco, mas acho uma área bem promissora”, conta Hoffmann.

Relacionadas

Leia mais

Tudo sobre a WorldSkills 2019, o mundial de profissões técnicas
VÍDEO: Conheça a rotina de treinos dos brasileiros que vão à WorldSkills 2019
Expert japonês treina alunos do SENAI para a WorldSkills

Comentários