Alunos do SESI apresentam projetos inovadores na Feira de Ciências da USP

São trabalhos de estudantes de Minas Gerais e da Bahia. A Febrace será realizada entre 21 e 23 de março, em São Paulo
Dos 15 projetos apresentados na Mostra de Ciências do SESI, na OC2016, três foram selecionados para a Febrace

Projetos de alunos do Serviço Social da Indústria (SESI) foram selecionados para participar da Feira Brasileira de Ciências e Engenharia ( Febrace ), promovida pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo ( USP ). Os trabalhos foram apresentados inicialmente na Mostra de Ciências e Engenharia, realizada pelo SESI durante a Olimpíada do Conhecimento 2016 , em Brasília. Dos 15 projetos apresentados, dois do SESI de Minas Gerais e um do SESI da Bahia foram classificados para a Febrace.

Preocupados com a questão da poluição na cidade de Pedro Leopoldo (MG), os alunos da cidade realizaram pesquisas sobre a “Produção de tinta à base de Dióxido de Titânio e Cal capaz de transformar poluentes atmosféricos em gases inofensivos”. Tudo começou a partir de dados médicos sobre o alto índice de doenças respiratórias no município. O objetivo da tinta é viabilizar a transformação de poluentes atmosféricos (principalmente gases) em suas formas inertes, ou seja, menos nocivas ao ambiente e à saúde humana. A tinta poderá ser utilizada em diversas superfícies externas, desde paredes altas, até o meio-fio das calçadas. Veja o vídeo com informações completas sobre o projeto .

Outro grupo de alunos da mesma escola do SESI mineiro apresentou um projeto sobre a “Análise da ação da papaína extraída do mamão sobre os ovos do Schistosoma mansoni ”. A proposta é verificar a ação da papaína, enzima proteolítica, sobre os ovos do Schistosoma mansoni , podendo ser aplicada no controle do ciclo da Esquistossomose.

A Esquistossomose é uma infecção adquirida quando as pessoas entram em contato com água doce infectada com as formas larvais de parasitas da espécie Schistosoma. Os vermes adultos microscópicos vivem nas veias de drenagem do trato urinário e dos intestinos. A maioria de seus ovos fica presa nos tecidos e a reação do corpo a eles pode causar grandes danos à saúde. Veja o vídeo com mais explicações sobre o projeto.

Já o projeto dos alunos do SESI Djalma Pessoa, de Salvador, é de um “Software para gerenciamento do processo formativo dos estudantes”. A justificativa deles é que a falta de ferramentas tecnológicas direcionadas para o gerenciamento e acompanhamento dos processos escolares vem causando implicações negativas para a escola e consequentemente para os estudantes.

Para o conjunto de conteúdos e habilidades aplicados em sala de aula, a escola conta com os planos de curso e de aula em seu sistema de ensino. Entretanto, para os alunos não há uma ferramenta facilitadora. O software desenvolvido possibilita a organização de todos os conteúdos e habilidades presentes no currículo da escola em uma plataforma web, além de favorecer o acompanhamento dos conteúdos vistos e previstos para cada ciclo (unidade) pelo estudante. Assista ao vídeo com os detalhes do projeto.

FEBRACE - A Feira Brasileira de Ciências e Engenharia é um movimento nacional de estímulo ao jovem cientista. A Febrace assume um importante papel social incentivando a criatividade e a reflexão em estudantes da educação básica, através do desenvolvimento de projetos com fundamento científico, nas diferentes áreas das ciências e engenharia.

A ideia da Febrace é estimular novas vocações em ciências e engenharia por meio do desenvolvimento de projetos criativos e inovadores, aproximar as escolas públicas e privadas das universidades, criando oportunidades de interação espontânea entre os estudantes e professores das escolas com a comunidade universitária, além de criar uma oportunidade para jovens pré-universitários entrarem em contato com diferentes culturas e estarem próximos de reconhecidos cientistas. A Febrace 2017 acontece de 21 a 23 de março, em São Paulo.

Relacionadas

Leia mais

SENAI Amapá oferece 13 opções de cursos gratuitos
5 coisas que micros e pequenas empresas precisam saber sobre Propriedade Intelectual
Centros de Inovação do SESI desenvolvem tecnologias para saúde e segurança na indústria

Comentários